Lisboa avança em linha com Europa com família EDP a valorizar

Lisboa acompanhou a tendência registada nas demais praças europeias e fechou a primeira sessão do mês acima da linha de água. Sonae perdeu força e fechou a sessão no vermelho.

A praça lisboeta terminou a primeira sessão de agosto em “terreno positivo“, em linha com as demais bolsas do Velho Continente. A família EDP esteve entre as cotadas com ganhos mais expressivos, enquanto a Sonae viu os seus títulos desvalorizaram, apesar de terem arrancado o dia a somar 3%.

O índice de referência na praça portuguesa, o PSI-20, fechou a sessão a valorizar 0,7% para 5.062,150 pontos. Lisboa acompanhou, assim, a tendência positiva registada nas demais bolsas europeias, com o Stoxx 600 a subir 0,59% para 464,48 pontos, o alemão Dax a somar 0,16% para 15.568,73 pontos, o francês CAC 40 a avançar 0,95% para 6.675,90 pontos e o espanhol Ibex a ganhar 0,96% para 8.758,70 pontos.

Por cá, destaque para a Novabase, que protagonizou os maiores ganhos do dia. Os seus títulos valorizaram 4,3% para 4,85 euros. Também no verde, as ações da Corticeira Amorim subiram 3,05% para 10,82 euros, um dia antes de a empresa apresentar os resultados do primeiro semestre.

Na energia, a família EDP destacou-se. Os títulos da EDP Renováveis avançaram 2,32% para 20,260 euros e os da EDP subiram 1,3% para 4,434 euros. Já as ações da Galp Energia — empresa que anunciou, esta manhã, a assinatura de um acordo final com a espanhola Enerland para a aquisição, desenvolvimento e construção de um portefólio renovável em Espanha — somaram 0,51% para 8,266 euros.

No verde, estiveram ainda os títulos da Mota-Engil, que avançaram 1,28% para 1,2660 euros. E no retalho, as ações da Jerónimo Martins valorizaram 0,35% para 17,2350 euros. No mesmo setor, mas do outro lado da linha de água, a Sonae viu os seus títulos recuarem 0,3% para 0,830 euros, apesar de terem arrancado a sessão a somar 3%. Isto depois de ter anunciado um acordo com a CVC Strategic Opportunities para a venda por 528 milhões de euros de uma posição minoritária de 24,99% na Sonae MC.

No vermelho, ficou também o BCP, cujos títulos perderam 0,42% para 0,1195 euros. E esta segunda-feira foi sinónimo de perdas ainda para as papeleiras, com os títulos da Altri a desvalorizarem 1,57% para 5,015 euros, os da Semapa a caírem 3,1% para 11,26 euros e os da Navigator a perderem 0,2% para 3,03 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa avança em linha com Europa com família EDP a valorizar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião