Apenas 10% das empresas de TI em todo mundo implementaram práticas de inclusão e diversidade

Um estudo recente conduzido pelo Capgemini Research Institute revela que apenas 10% das empresas de TI a nível mundial foram capazes de implementar práticas avançadas de inclusão e de diversidade.

A inclusão e a diversidade continuam a não ser um dos principais focos das empresas: apenas 10% das empresas de TI a nível mundial foram capazes de implementar práticas avançadas de inclusão e de diversidade, segundo um estudo da Capgemini Research Institute, intitulado “The key to designing inclusive tech: creating diverseand inclusive tech teams”. Uma grande maioria das instituições (90%) pretende ainda colocar em prática medidas inclusivas.

“Num mundo em que a procura por produtos e serviços assentes em tecnologia que não sejam discriminatórios e que tenham sido desenvolvidos com base em critérios inclusivos continua a crescer, a importância de implementar equipas, culturas e práticas tecnológicas inclusivas é mais importante do que nunca”, alertou Shobha Meera, Chief Corporate Social Responsibility Officer e Executive Committee Member do Grupo Capgemini, em comunicado.

A aposta em práticas de inclusão e diversidade podem trazer, para além do benefício social, retornos financeiros para as instituições com departamentos de TI. Olhando para os números, empresas que implementaram tais medidas beneficiaram de mais-valias, que permitiram aumentar as suas receitas (56%) e melhorar os níveis de satisfação dos clientes (51%), revela ainda o estudo da CapgeminiResearchInstitute.

Gestores e trabalhadores com opiniões diferentes

Gestores e trabalhadores têm, no entanto, uma grande disparidade de perceção sobre a existência de inclusão e diversidade dentro das suas empresas. Enquanto 85% dos gestores considera que as suas empresas oferecem oportunidades justas de desenvolvimento de carreiras e de promoção a todos os seus trabalhadores, apenas 18% dos trabalhadores do sexo feminino e dos que pertencem a minorias étnicas partilha da mesma opinião. De salientar também que 16% dos trabalhadores entrevistados acreditam ter sido bem representados nas suas equipas.

O estudo também ressalva que o fosso de perceção existente entre os gestores e os seus trabalhadores do sexo feminino e de minorias étnicas sobre o nível de inclusão é menor nas organizações que possuem uma cultura inclusiva mais avançada.

A investigação foi conduzida em 1000 pessoas que trabalham na área tecnológica. Das pessoas inquiridas, 500 eram mulheres e pessoas de minorias étnicas a nível mundial e as outras 500 eram gestores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apenas 10% das empresas de TI em todo mundo implementaram práticas de inclusão e diversidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião