De Tóquio a Portland. Luciana Cani lidera criatividade da Amazon Prime na AKQA

Amazon Prime, Nike, Fender e VinFast são algumas das contas que a profissional irá assumir na liderança criativa da agência nos Estados Unidos.

Luciana Cani, diretora criativa executiva da AKQA PortlandD.R.

Luciana Cani é a nova diretora criativa executiva da AKQA Portland, nos Estados Unidos. A luso-brasileira transita da Saatchi & Saatchi Tóquio, agência onde assumia, desde janeiro de 2019, o cargo de diretora criativa executiva. Amazon Prime, Nike, Fender e VinFast são algumas das contas que a profissional irá assumir na liderança criativa da agência.

“O desafio é elevar a excelência criativa, fomentando oportunidades nos clientes atuais e atraindo novos. A equipa é enxuta, dinâmica e com uma grande variedade de habilidades. Estão cheios de vontade de fazer e acontecer”, adianta Luciana Cani, a nova diretora criativa executiva da AKQA Portland, à Pessoas. Vai liderar uma equipa de cerca de 35 pessoas criativas, reportando a David Buckley, managing director da AKQA Portland, bem como ao chief creative officers globais, o português Hugo Veiga, Diego Machado (cofundadores da AKQA São Paulo) e Peter Lund.

“Estamos muito entusiasmados em receber a Luciana no estúdio. Ela traz consigo um currículo de excelência criativa, um espírito colaborativo e uma perspetiva global. A sua nomeação reflete o nosso compromisso com a criatividade e o seu poder de criar um melhor futuro”, diz David Buckley, citado em nota de imprensa.

A mudança surge depois de cerca de três anos em Tóquio. “O Japão foi uma experiência incrível, daquelas oportunidades que só aparecem uma vez na vida. Depois de trabalhar lá, entendo como fui privilegiada de ter um lugar naquele mercado tão específico e ainda um pouco restrito para estrangeiros”, lembra. “A equipa criativa era 100% japonesa e aprendi muito sobre as nossas diferenças culturais. Para uma mente criativa, o Japão é uma fonte inesgotável de inspiração e aprendizagem. O país proporciona experiências diferentes em situações que em outros países seriam corriqueiras, e isso é muito enriquecedor. Eu até criei uma conta no Instagram para documentar, em formato de ilustração, tudo o que ia vivendo e aprendendo por lá”, adianta.

Mudança de agência em trabalho remoto

Passagem no mercado asiático, tendo pelo meio uma pandemia. Uma crise sanitária que levou as agências criativas, como qualquer empresa, a instalar mini-escritórios em casa de cada um dos colaboradores. Luciana Cani assume a AQKA Portland com as equipas ainda a trabalhar de forma remota. “Trabalhar em tempos de pandemia ainda me está trazendo aprendizagens. Pela primeira vez assumo um departamento criativo em que todos estão trabalhando remotamente. Essa situação é muito única. Eu conversei com amigos que assumiram um desafio semelhante recentemente e tem sido uma troca interessante”, comenta a líder criativa.

Pela primeira vez assumo um departamento criativo em que todos estão trabalhando remotamente. (…) Temos que desenvolver estratégias para estar perto das pessoas e sentir o pulso da agência. A cultura tem um papel ainda mais importante quando estamos longe um dos outros. Entender o que nos une abaixo de uma marca é crucial para nos sentirmos parte dela.

“Temos que desenvolver estratégias para estar perto das pessoas e sentir o pulso da agência. A cultura tem um papel ainda mais importante quando estamos longe uns dos outros. Entender o que nos une abaixo de uma marca é crucial para nos sentirmos parte dela. Felizmente a AKQA tem uma cultura forte e admirada”, reforça.

“As pessoas vão continuar em trabalho remoto na maior parte do tempo. Existe um grande respeito pela opinião das pessoas e de como elas se sentem mais confortáveis trabalhando. Flexibilidade é a palavra chave”, acrescenta.

Apesar de terem estado a trabalhar remotamente, os colaboradores “têm a opção de vir ao estúdio”. É o caso de Luciana Cani. “Durante esta minha primeira semana, eu preferi trabalhar no escritório por um motivo pessoal: o espaço é super bonito e como sou nova na cidade, o facto de sair do hotel, me ajuda a conhecer melhor os bairros”, explica a criativa que entrou numa nova equipa também com um onboarding através de um ecrã.

“O onboarding tem sido digital, mas algumas pessoas vieram encontrar-se comigo no estúdio para me conhecer pessoalmente. É sem dúvida diferente, mas funciona e é eficiente”, diz.

Luciana Cani esteve durante nove anos ligada à Leo Burnett Lisboa vinda de São Paulo, tendo subido à direção criativa executiva da agência. Com uma costela portuguesa herdada do bisavô transmontano, naturalizou-se portuguesa e em maio de 2016 rumou a Chicago, para assumir o cargo de vice-presidente sénior e diretora criativa executiva da Leo Burnett Chicago, com responsabilidade pela agência Lapiz. Em 2019 rumou a Tóquio, para a Saatchi & Saatchi.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

De Tóquio a Portland. Luciana Cani lidera criatividade da Amazon Prime na AKQA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião