Interrupção de fornecimento a clientes de gás cai 30% em 2020

  • Lusa
  • 18 Agosto 2021

Em 2020, "0,9% das instalações de clientes existentes foram interrompidas”. Em comparação com 2019, registou-se uma redução de 30% do número de clientes interrompidos, diz a ERSE.

A interrupção de fornecimento a clientes de gás caiu 30% em 2020, comparativamente a 2019, para 0,9% de instalações interrompidas, segundo o Relatório da Qualidade de Serviço Técnica da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

De acordo com o Relatório da Qualidade de Serviço Técnica do setor do gás, referente ao ano passado, que caracteriza a qualidade de serviço naquele setor e avalia o cumprimento do Regulamento da Qualidade de Serviço por parte das entidades reguladas, “em 2020, 0,9% das instalações de clientes existentes foram interrompidas”, o que significa que, “em comparação com 2019, registou-se uma redução de 30% do número de clientes interrompidos”.

Em 2020, o operador de rede de distribuição (ORD) com o maior número médio de interrupções foi a Tagusgás, com uma média de 75,2 interrupções por 1.000 clientes, “devido especialmente a dois incidentes na rede não controláveis pelo ORD”, observou o regulador da energia.

“Estes incidentes, com consequências de dimensão excecional, foram causados por terceiros (máquinas escavadoras que danificaram a rede de gás) e afetaram 1.270 clientes no concelho de Tomar e 1.777 clientes no concelho de Almeirim”, explicou a entidade.

Seguiram-se a Medigás (média de 42 interrupções por 1.000 clientes), a REN Portgás (10,8), a Lisboagás (7,6), a Duriensegás (3,2), a Dianagás (2,4), a Lusitaniagás (1,9), a Setgás (1,8), a Beiragás (0,2) e, por fim, a Paxgás e a Sonorgás, ambas sem registo de qualquer interrupção em 2020.

De acordo com os dados da ERSE, a duração média das interrupções por cliente, a nível nacional, foi de 1,8 minutos/cliente, à semelhança da tendência dos anos anteriores.

Já a duração média das interrupções verificadas nos clientes interrompidos, em 2020, foi, a nível nacional, de 215 minutos.

No ano passado, “os padrões estabelecidos para os indicadores de continuidade serviço foram cumpridos por todos os operadores de redes de distribuição (ORD)”, indicou o regulador, acrescentando que “os requisitos de pressão e das características do gás foram também cumpridos por todos os ORD”.

Portugal importa 100% do gás que consome, que chega ao país por gasodutos (Campo Maior ou Valença do Minho) ou por via marítima (Sines) e é armazenado em instalações próprias (Carriço e Sines) que abastecem a rede de transporte, chegando aos consumidores através das redes de distribuição.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Interrupção de fornecimento a clientes de gás cai 30% em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião