Elétricas prometem não mexer nos preços da luz até ao fim do ano, apesar dos recordes

Com 74% dos clientes em mercado livre, a EDP decidiu "manter inalterados os preços para os clientes domésticos ao longo de 2021". A Galp diz que até agora não refletiu o custo da energia nas ofertas.

É o preço mais alto de sempre para a eletricidade negociada no mercado grossista ibérico. Esta segunda-feira, e depois de um agosto marcado por sucessivos recordes (oito, até agora), o preço por MWh atingiu no Mibel o valor nunca antes visto de 124,45 euros, sendo que vai chegar a um novo máximo histórico acima dos 130 euros já amanhã. Com o mês a terminar, o preço médio dos últimos 30 dias está já em 105,17 euros/MWh em Portugal, ligeiramente acima do que no mercado espanhol (107,12€/MWh).

As comercializadoras de energia elétrica estão atentas à evolução do mercado, mas para já garantem que os preços para os consumidores em mercado livre se vão manter até ao fim de 2021. A mesma sorte não tiveram os clientes que ainda permanecem com tarifas reguladas e que a partir do dia 1 de julho viram as suas contas da luz aumentar 3%, entre 1 e 3 euros. Quanto a uma nova subida, a acompanhar a alta de preços do Mibel, a EERSE garantiu ao ECO/Capital Verde que “neste momento, é prematuro antecipar qualquer decisão”.

Com uma carteira de 74% dos clientes em mercado livre em Portugal, e 42% do consumo, a EDP garante que decidiu “manter inalterados os preços para os clientes domésticos ao longo de 2021″, disso ao ECO/Capital Verde fonte da empresa, repetindo o que já tinha dito em junho, em reação à decisão do regulador de aumentar em 5 euros o preço por MWh.

“A EDP Comercial acompanha com atenção a subida dos preços no mercado grossista, mas considera prematuro comentar a atualização tarifária prevista para o próximo ano, estando ainda a aguardar pela decisão tarifária da ERSE nas componentes reguladas”, disse a mesma fonte.

Do lado do regulador, fica a garantia neste momento que “as revisões, atualizações e fixações de tarifas e preços de eletricidade são feitas nos termos e prazos regulamentares, pelo que, neste momento, é prematuro antecipar qualquer decisão” de uma nova subida.

Outra das elétricas que promete, para já, uma manutenção dos preços praticados é a Galp. A empresa garante que tem vindo a garantir nos últimos meses que o aumento do custo de energia não é refletido nos clientes domésticos.

“A tabela de preços da Galp tem vindo a manter-se, apesar do contínuo acréscimo do preço da eletricidade no mercado grossista. Os preços da eletricidade são normalmente atualizados numa base anual, em linha com a revisão anual das tarifas e com a evolução dos custos da energia elétrica. Como é habitual, qualquer atualização será avaliada e anunciada atempadamente“, diz a Galp, que é a quarta comercializadora com maior número de clientes (5,3%), depois da EDP, Endesa (7,7%) e Iberdrola (6%).

Quanto aos clientes empresariais, a Galp diz que “a oferta é customizada às suas necessidades, perfil de consumo, serviços abrangidos e prazo contratual, pelo que há vários fatores que influenciam a proposta de valor oferecida a estes clientes”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Elétricas prometem não mexer nos preços da luz até ao fim do ano, apesar dos recordes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião