Têxtil Domingos Almeida dá 3,5 milhões para comprar empresas do grupo Moretextile

A empresa de Lordelo, Domingos Almeida, apresentou a "proposta mais atrativa", no valor de 3,5 milhões, para comprar a têxtil António de Almeida & Filhos. Venda será confirmada dia 7 de setembro.

A têxtil Domingos Almeida, localizada em Lordelo, apresentou a “proposta mais elevada”, no valor de 3,5 milhões de euros, para comprar as empresas do universo António de Almeida & Filhos (AAF), que inclui a António Almeida e Filhos, a Morecoger e a Moretextile Imobiliária.

“A proposta da Domingos Almeida é a que reúne todas as condições que estavam concretizadas no anúncio que pedia um valor base de três milhões e a salvaguarda dos postos de trabalho”, conta ao ECO o coordenador do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, Francisco Vieira.

Uma das condições das propostas era a garantia dos postos de trabalho dos cerca de 200 colaboradores. A proposta da Domingos e Almeida garante os postos de trabalho, mas a garantia só será confirmada dia 7 de setembro na assembleia de credores. O coordenador do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes adianta que os salários de agosto dos 210 trabalhadores estão assegurados e que serão pagos pela massa insolvente.

No total foram entregues três propostas, sendo que duas foram aceites e uma foi excluída. A têxtil Domingos de Almeida apresentou uma proposta de 3,51 milhões de euros, a JF Almeida, a empresa do irmão, Joaquim Almeida, apresentou uma proposta no valor de 3,1 milhões de euros, paga em quatro prestações anuais, ou o pagamento de 6,2 milhões de euros pagos em oito anos com dois de carência, e, por fim, a Mabera apresentou uma proposta de um euro.

Em relação à proposta da JF Almeida, o sindicato diz que para quem vende “é uma proposta atrativa”, mas que “não é atrativo aguardar oito anos pela concretização do pagamento“, tendo em conta que está em cima de mesa um processo de insolvência. No entanto, Francisco Vieira realça que a “assembleia é soberana e que vai conhecer o conteúdo das propostas e só depois é que será anunciada a decisão”.

As propostas vão ser apresentadas aos credores em assembleia agendada para as 10 horas do dia 7 de setembro, no Tribunal de Guimarães. No entanto, o sindicato adianta ao ECO que o administrador de insolvência da têxtil António de Almeida & Filhos, Bruno Costa Pereira, já disse que “a proposta vencedora é a de Domingos Almeida”.

As empresas do universo António de Almeida & Filhos (AAF), que inclui a António Almeida e Filhos, a Morecoger e a Moretextile Imobiliária estavam à venda por um preço base de três milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Têxtil Domingos Almeida dá 3,5 milhões para comprar empresas do grupo Moretextile

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião