Crise energética e de alimentos ameaça Reino Unido

  • ECO
  • 24 Setembro 2021

Reino Unido enfrenta uma crise de alimentos e combustível. Britânicos correm às bombas e aos supermercados para assegurar bens. Boris Johnson quer visto temporário e aliviar regras de entrada no país.

O governo de Boris Johnson está prestes a aprovar medidas contrárias às linhas vermelhas que tinha estabelecido para o Brexit e permitir que condutores estrangeiros possam entrar no Reino Unido para evitar a ameaça de escassez de alimentos e combustível que a região enfrenta.

Johnson ordenou mesmo uma solução rápida esta sexta-feira para travar uma escalada da crise. Em cima da mesa poderá estar um esquema de vistos de curto prazo que permitiria a milhares de motoristas estrangeiros cruzar a fronteira britânica, segundo avança a agência Bloomberg.

O Executivo britânico está sob pressão depois das cenas caóticas verificadas em muitos postos de abastecimento, com filas enormes de condutores em pânico e preocupados com uma eventual falta de combustível nas bombas. Os abastecedores já avisaram que escassez poderá piorar se nada for feito.

As estimativas apontam para a falta de 100 mil motoristas de veículos pesados, num problema que se agravou com o Brexit e com a pandemia e que está a ter impacto no setor alimentar e noutras indústrias. Uma associação retalhista britânica alertou esta sexta-feira que o Natal poderá ficar comprometido se não houver uma solução para o problema nos próximos dez dias.

O jornal The Guardian (acesso livre/conteúdo em inglês) dá conta de supermercados em todo o Reino Unido com prateleiras vazias.

Uma fonte do governo, citada pelo jornal, disse que alguns ministros queriam evitar a perceção pública de que a escassez de combustíveis e alimentos se devia à saída do Reino Unido da União Europeia e estavam relutantes em aliviar as regras de imigração.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Crise energética e de alimentos ameaça Reino Unido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião