Portugal é o segundo país da UE onde menos estudantes aprendem duas ou mais línguas estrangeiras

Os estudantes portugueses são os que menos estudam duas ou mais línguas estrangeiras, apenas "ultrapassados" pelos gregos, de acordo com os dados do Eurostat.

Apenas 6,3% dos estudantes portugueses do ensino secundário aprenderam duas ou mais línguas estrangeiras, de acordo com os dados publicados pelo Eurostat esta sexta-feira, que coloca Portugal como o segundo pior país da União Europeia neste indicador, apenas “ultrapassado” pela Grécia (0,7% dos estudantes). No topo está o Luxemburgo onde 100% dos estudantes têm de aprender duas ou mais línguas estrangeiras: além do luxemburguês, falam francês e alemão, duas línguas que também são oficiais neste país.

O conhecimento das línguas estrangeiras é uma ferramenta essencial para o intercâmbio cultural“, escreve o gabinete europeu de estatísticas, referindo que esse tipo de qualificações é apreciado pelas empresas e podem facilitar a comunicação em diferentes contextos.

Em média, na União Europeia, em 2019, 59% dos estudantes do ensino secundário estudavam duas ou mais línguas estrangeiras. Além do Luxemburgo, mais de 90% dos estudantes aprendem duas ou mais línguas em países como França, Estónia, Chéquia, Roménia, Finlândia (todos de 99% para cima), Eslováquia (98%), Croácia (95%) e Eslovénia (92%).

O contraste é acentuado quando se olha para os países do sul da Europa, aos quais se somam os países que têm o inglês como a língua materna. Na Grécia, menos de 1% dos estudantes aprende duas ou mais línguas estrangeiras, seguindo-se Portugal, Irlanda (12%), Itália (25%) e Espanha (27%). Fora da União Europeia, é de notar os 2,6% registados pelo Reino Unido que, à semelhança da Irlanda, tem o inglês como língua materna.

O Eurostat esclarece que apenas são consideradas as disciplinas obrigatórias, mesmo que opcionais, e são excluídas as disciplinas quando estas são um acrescento ao currículo mínimo obrigatório — um critério que poderá ter alguma influência nos resultados aqui apresentados.

Sem margem para dúvidas, o inglês é a língua estrangeira que mais estudantes europeus (96%) estudam e nesse aspeto as estatísticas mostram que os portugueses aprendem bem a língua de Shakespeare: o índice EF English Proficiency Index (EF EPI) de 2020 colocava Portugal em sétimo lugar no ranking dos países que melhor falam inglês.

Em segundo lugar surge o espanhol com 26% e só depois o francês (22%) e o alemão (20%). O italiano tem uns residuais 3%, assim como o russo, a língua não oficial da UE que é mais aprendida pelos estudantes europeus, especialmente na Estónia, na Letónia, na Lituânia (três estados anexados pela União Soviética) e na Bulgária (aliado da União Soviética).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal é o segundo país da UE onde menos estudantes aprendem duas ou mais línguas estrangeiras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião