Banca deu 1.261 milhões de euros em crédito para a casa em agosto

Montante concedido pelos bancos para comprar casa voltou a aumentar, mantendo-se acima da fasquia dos mil milhões de euros.

A procura por crédito para a casa desceu ligeiramente em agosto, mas manteve-se acima do patamar dos mil milhões de euros. De acordo com os dados do Banco de Portugal (BdP) publicados esta sexta-feira, os bancos concederam um total de 1.261 milhões de euros em empréstimos para a habitação, elevando o total financiado em 2021 para 9.826 milhões de euros.

Com muitos portugueses de férias, o novo crédito para a casa reduziu-se face ao registado em julho, mês em que tinham sido contabilizados 1.385 milhões de euros. Os novos empréstimos encolheram em 124 milhões de euros, mas foram “mais 407 milhões de euros em relação a agosto do ano passado”, diz o regulador do setor.

Mesmo com a queda registada face a julho, agosto foi o sexto mês consecutivo em que o montante concedido pelos bancos para a compra de casa ficou acima da fasquia dos mil milhões de euros, marca que tinha sido já alcançada no último mês de 2020. No acumulado do ano, o montante total concedido ascende a 9.826 milhões de euros.

Este ritmo de concessão de crédito para a casa acontece num contexto de dinamismo do mercado imobiliário, fomentado pelas baixas taxas de juro do Banco Central Europeu (BCE). “A taxa de juro média destes empréstimos manteve-se em 0,80%. Esta taxa encontra-se abaixo de 1% desde agosto de 2020″, diz o Banco de Portugal.

Crédito ao consumo também trava

Tal como aconteceu com o crédito para a casa, também o financiamento ao consumo encolheu em agosto. “No segmento de consumo, os bancos emprestaram 413 milhões de euros, montante que representa uma redução de 16 milhões de euros em relação a julho deste ano e um aumento de 50 milhões de euros face a agosto de 2020″.

Juntando o crédito para a casa ao crédito ao consumo, o financiamento concedido pela banca aos particulares ascendeu a 1.861 milhões de euros”, refere o Banco de Portugal.

Menos dinheiro para as empresas

“Em agosto, os bancos reduziram para 2.017 milhões de euros o montante de novos empréstimos a empresas, dos quais 1.207 milhões de euros corresponderam a empréstimos de montante igual ou inferior a um milhão de euros”, nota o supervisor.

Relativamente à taxa de juro média dos novos empréstimos a empresas, esta “manteve-se em níveis historicamente baixos: 1,91% em agosto, valor abaixo do registado em julho de 2021 (2,00%) e em agosto do ano passado (1,98%)”.

“A análise por classe de montante mostra que a taxa de juro dos novos empréstimos de montante inferior ou igual a 1 milhão de euros subiu para 2,22% e a taxa de juro dos empréstimos de montante superior a 1 milhão de euros desceu para 1,46%”, conclui o Banco de Portugal.

(Notícia atualizada às 11h24 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Banca deu 1.261 milhões de euros em crédito para a casa em agosto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião