Mário Centeno vê inflação a abrandar em 2022

  • ECO
  • 6 Outubro 2021

O governador do Banco de Portugal disse em Paris que "é expectável que a inflação abrande em 2022", depois de disparar este ano. BCE aponta para uma taxa de 2,2% na Zona Euro em 2021.

Mário Centeno está atento à escalada dos preços, mas continua a acreditar que a inflação deverá ser passageira. Em declarações proferidas num evento em Paris, o governador do Banco de Portugal diz que os preços devem abrandar no próximo ano.

Em declarações reproduzidas pelo Jornal de Negócios, que cita a Bloomberg, o ex-ministro das Finanças sustenta que “é expectável que a inflação abrande em 2022”, depois de disparar este ano.

Os preços têm vindo a aumentar de forma expressiva, muito por causa da escalada dos preços da energia. Vários países, entre eles a Espanha e a Alemanha, registam taxas de inflação acima dos 4%.

O Banco Central Europeu aponta para uma inflação de 2,2% na Zona Euro no final deste ano. Um número que deverá baixar para 1,7% em 2022 e para 1,5% em 2023, de acordo com as previsões económicas da instituição sediada em Frankfurt.

Centeno já tinha dito recentemente que a melhor resposta do BCE à incerteza em torno dos preços seria manter uma “monitorização próxima, uma mão firme e estar pronto para agir de forma flexível”. E salientou que o BCE tem as ferramentas para responder “com agilidade e eficácia”.

Nesta conferência em Paris, Centeno falou também da recuperação económica, salientando que questões como o alívio das medidas de confinamento em vários países e o desenvolvimento da campanha de vacinação “continuam a ser cruciais” para a retoma.

Nessa ocasião, o governador do Banco de Portugal deixou o alerta para os desafios que existem a essa retoma, nomeadamente o facto de algumas “regiões e setores [estarem] a recuperar a diferentes velocidades”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mário Centeno vê inflação a abrandar em 2022

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião