Arranca a administração da terceira dose da vacina contra a Covid. Qual é o plano?

Vai arrancar a administração da terceira dose da vacina contra a Covid em Portugal. Numa fase inicial, será dada prioridade a pessoas em lares e com mais de 80 anos.

Com grande parte da população portuguesa com a vacinação completa contra a Covid, vai arrancar a administração da terceira dose da vacina para os maiores de 65 anos. Nesta fase inicial, a prioridade são os mais idosos, com mais de 80 anos, pelo que o reforço vai começar a ser dado nos lares.

À semelhança do que aconteceu na primeira fase da campanha, a terceira dose da vacina contra a Covid vai começar a ser administrada esta semana a pessoas residentes em lares de idosos e com mais de 80 anos. Depois, a administração deste dose de reforço vai realizar-se de forma decrescente até à faixa etária igual ou superior aos 65 anos. “Iniciaremos pelas faixas mais vulneráveis, nomeadamente pelas estruturas residenciais para idosos, pela faixa acima dos 80 anos e depois iremos de uma forma decrescente até à faixa igual ou superior aos 65 anos”, disse Lacerda Sales.

Segundo explicou a diretora-geral da Saúde, esta terceira dose deverá ser administrada seis meses após a última dose contra a Covid e o objetivo é estimular a imunidade conferida anteriormente.

Recorde-se que, em, Portugal, a administração da terceira dose está apenas prevista para os maiores de 65 anos, isto apesar de a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) ter dado “luz verde” à administração desta dose de reforço a pessoas partir dos 18 anos, com um intervalo de, pelo menos, 28 dias após a segunda dose (no caso das pessoas com o sistema imunitário mais enfraquecido, como é o caso dos mais idosos) e seis meses para as restantes. O ECO questionou o Ministério da Saúde e a Direção-Geral da Saúde (DGS) para saber quantas pessoas estão elegíveis para receberem a terceira dose da vacina, mas não foi possível obter qualquer resposta até à publicação deste artigo.

Além disso, no início de setembro a DGS já tinha recomendado a administração de uma dose adicional de vacina contra a Covid-19 para pessoas a partir dos 16 anos e com imunossupressão, sendo que esta dose deve ser tomada três meses após a última.

Para o efeito, esta terceira dose vai ser administrada num misto entre centros de saúde e de vacinação, sendo que se vão manter cerca de 339 pontos de vacinação espalhados pelo país. Neste contexto, o secretário Adjunto e da Saúde referiu que os centros de vacinação que vacinavam cerca de duas mil pessoas por dia, não deverão ser necessários, ao passo que alguns “centros tipo B, onde vacinávamos 200 a 300 pessoas”, vão manter-se.

Quanto ao fim do processo, ainda não há data prevista para terminal. Não obstante, ainda antes de ser anunciado que a terceira dose ia mesmo avançar para os maiores de 65 anos, o primeiro-ministro sinalizou a intenção de concluir a administração deste reforço até dezembro, por forma a que os mais idosos possam passar a quadra natalícia “devidamente protegidos”.

Além de Portugal, há vários países a administrarem já a terceira dose da vacina contra a Covid, como é o caso de Israel, Estados Unidos, Reino Unido, Hungria ou Rússia, isto apesar de a idade e as condições de saúde variarem de país para país.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Arranca a administração da terceira dose da vacina contra a Covid. Qual é o plano?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião