Novos certificados captam mais de 200 milhões no mês de estreia

Desta vez não houve tempo para "corrida" aos antigos certificados. Transição para o novo produto do Estado foi feita de forma tranquila, com os CTPV a captarem mais de 200 milhões em duas semanas.

Os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC) desapareceram. De um momento para o outro, foram substituídos pelos Certificados do Tesouro Poupança Valor (CTPV), um novo produto de poupança do Estado que oferece uma remuneração mais baixa, e um prémio que vem mais tarde. Não é tão atrativo quanto o antecessor, mas ainda assim captou mais de duas centenas de milhões de euros junto das famílias.

Disponíveis para subscrição pelos aforradores desde 13 de setembro, os CTPV conseguiram arrecadar um valor em torno dos 210 milhões de euros até ao final do mês passado, de acordo com dados obtido pelo ECO. Foram registados investimentos médios de 15 milhões de euros por dia neste produto de poupança do Estado que pode ser subscrito através do AforroNet, dos CTT, mas também nos Espaços Cidadão.

Este valor fica em linha com aquilo que os CTPC estavam a captar nas primeiras semanas do mês, período em que ainda estavam disponíveis. Nos primeiros dias do mês passado, até dia 11, enquanto puderam ser subscritos, captaram mais de 145 milhões, uma média de 18 milhões por dia, mas saíram 12,5 milhões. O saldo líquido foi positivo em cerca de 135 milhões, ou seja, 16 milhões por dia.

Ao contrário do que aconteceu noutras mudanças nos certificados, desta vez o Governo não permitiu a “corrida” à subscrição dos CTPC, assistindo-se ao que se pode considerar de transição suave entre produtos de poupança do Estado, apesar das condições menos atrativas dos novos certificados.

Tal como os CTPC, os CTPV têm um prazo de investimento de sete anos. Contudo, nestes novos títulos há um corte na remuneração fixa e também no prémio, que passa a ser atribuído mais tarde aos aforradores.

Os CTPC, lançados em 2017, apresentavam uma remuneração média de 1,35% nos sete anos de maturidade. Os CTPV pagam menos: 1%, sendo que a taxa anual nominal bruta começa nos 0,7% e vai até aos 1,6%.

Veja as taxas de juro dos novos CTPV para cada ano da aplicação:

  • 1.º ano – 0,70%
  • 2.º ano – 0,70%
  • 3.º ano – 0,80%
  • 4.º ano – 0,90%
  • 5.º ano – 1,00%
  • 6.º ano – 1,30%
  • 7.º ano – 1,60%

Em relação ao prémio, os anteriores certificados pagavam um bónus de 40% do PIB logo a partir do segundo ano, estando limitado a um máximo de 1,2%. Com os novos certificados, o prémio vem um ano mais tarde, ao terceiro ano de maturidade do título, e dá direito a um bónus de 0,2% do PIB, até ao máximo de 1,5%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Novos certificados captam mais de 200 milhões no mês de estreia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião