Duas manifestações de interesse sobre a Dielmar não foram oficializadas

  • Lusa
  • 25 Outubro 2021

Ministério da Economia assegurou que continuava a trabalhar numa solução e que também estava a trabalhar "para salvaguardar o salário do mês de outubro".

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Têxtil da Beira Baixa (STBB) disse esta segunda-feira que as duas manifestações de interesse que surgiram na assembleia de credores da empresa de confeções Dielmar, não foram oficializadas.

No último relatório que houve por parte do senhor administrador [de insolvência] constavam duas propostas. Na última assembleia [de credores] foi colocada ao administrador, a possibilidade e a manifestação de interesse por parte de mais duas entidades que, entretanto, segundo informação que temos, não foi oficializada”, afirmou aos jornalistas a presidente do STBB, Marisa Tavares.

A sindicalista falava após uma concentração dos trabalhadores da Dielmar, em frente a Câmara Municipal de Castelo Branco, onde voltaram a exigir que lhes seja assegurado o pagamento dos salários de outubro.

“Nós sempre dissemos que os trabalhadores não podem ser penalizados neste processo. E foi-nos transmitido [pelo Ministério da Economia] que estavam a trabalhar também nesse sentido”, frisou.

A dirigente sindical sublinhou que tinha preparada para esta segunda uma concentração para decorrer em frente ao Ministério da Economia, mas que a ação foi revertida depois de, na sexta-feira, o próprio Ministério ter feito chegar informação sobre o processo da Dielmar junto do STBB.

Na sexta-feira houve essa informação de que continuavam [a tutela] a trabalhar numa solução e que estavam a trabalhar também para salvaguardar o salário do mês de outubro. Como é óbvio, em vez de irmos a Lisboa, fizemos uma concentração à frente da Câmara de Castelo Branco, porque consideramos que era necessário trabalhar para que amanhã estejamos todos [no Fundão] em unidade como sempre estivemos até aqui”, sustentou.

Marisa Tavares realçou que, independentemente, das propostas que possam surgir na assembleia de credores que decorre na terça-feira, no Tribunal do Fundão, “nós estaremos cá para defender os trabalhadores”.

“Quem tem que analisar as propostas no concreto será o Ministério [da Economia] e os credores, amanhã na assembleia de credores”, concluiu.

A assembleia de credores da empresa de confeções Dielmar reúne amanhã, depois de ter decidido dar mais 15 dias para que as propostas e manifestações de interesse na empresa pudessem ser consolidadas.

A decisão foi tomada na sessão que teve lugar no dia 06 de outubro, no Tribunal do Fundão e durante a qual foram colocadas em cima da mesa duas possibilidades, nomeadamente a de avançar para o encerramento definitivo e liquidação dos bens ou, em contrapartida, optar pelo adiamento de uma decisão para que as propostas pudessem ser fortalecidas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Duas manifestações de interesse sobre a Dielmar não foram oficializadas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião