Energia tira energia à bolsa e Lisboa contraria Europa

PSI-20 recuou pela segunda sessão consecutiva, pressionada pelo setor da energia. BCP teve um dia positivo na véspera de apresentar resultados.

GreenVolt, EDP, Galp e EDP Renováveis terminaram a sessão desta quarta-feira em terreno negativo e pressionaram a bolsa de Lisboa, que recuou pela segunda sessão consecutiva e hoje em contramão com a Europa.

O PSI-20, o principal índice português, desvalorizou 0,39% para 5.714,00 pontos, com dez cotadas a fechar o dia com perdas.

O setor energético foi aquele que mais pressionou a praça nacional. A GreenVolt cedeu 2,90% para 7,03 euros, depois de atingir máximos desde a estreia em bolsa, em julho. A EDP e a EDP Renováveis cederam 1,01% e 0,42%, respetivamente, e a Galp, que tem valorizado à boleia da alta dos preços do petróleo, também recuou 1,02% para 9,354 euros.

Por outro lado, sete cotadas tiveram um dia mais tranquilo, como o BCP, que avançou 0,71% para 0,157 euros, na véspera de apresentar as contas trimestrais. Esta manhã, o seu banco na Polónia reportou prejuízos de 181,2 milhões nos primeiros nove meses do ano, penalizado pelas provisões para os riscos legais com os casos em tribunal relativos a contratos de empréstimo à habitação em francos suíços.

A Ibersol registou a valorização mais expressiva, somando 1,17%, seguindo-se a Navigator, que ganhou também mais de 1%.

Apesar destes ganhos, Lisboa fechou o dia abaixo da linha de água, ainda que o cenário europeu tenha sido mais positivo. O índice de referência Stoxx 600 avançou 0,72%, tendo sido acompanhado por outras importantes praças do Velho Continente, como o alemão Dax-30 e o espanhol Ibex-35, que valorizaram mais de 1%.

“Na Europa, o setor de Viagens & Lazer liderou os ganhos, enquanto o de Recursos Naturais foi o único em queda. À hora de fecho das praças no velho continente, nas congéneres de Wall Street Nasdaq 100, S&P 500 e Dow Jones atingiram novos máximos, com o índice tecnológico a destacar-se, ao avançar mais de 1%, no dia em que se vão conhecer as contas de grandes empresas de tecnologia – Twitter, Alphabet e Microsoft”, observaram os analistas do BCP.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Energia tira energia à bolsa e Lisboa contraria Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião