“Nunca ponderei demitir-me”, diz presidente da Anacom após críticas do primeiro-ministro

João Cadete de Matos, presidente da Anacom, garantiu esta quinta-feira que "nunca" ponderou demitir-se, apesar de ter sido duramente criticado pelo primeiro-ministro.

Uma semana depois de ter sido duramente criticado pelo primeiro-ministro no Parlamento, o presidente da Anacom reagiu esta quinta-feira, afirmando que nunca ponderou demitir-se.

Sem endereçar diretamente as declarações de António Costa, João Cadete de Matos acabou por dizer, quando questionado nesse mesmo sentido: “Nunca me senti ofendido por qualquer declaração de um membro do Governo. Nunca ponderei demitir-me.”

O tema das declarações do primeiro-ministro foi o elefante na sala durante praticamente toda a conferência de imprensa desta quinta-feira, por ocasião do fim do leilão do 5G. Cadete de Matos acabou por dizer: “Não fiz até hoje — nem será hoje que o irei fazer — comentários às afirmações de qualquer membro do Governo.”

Ao longo de todo o mandato, assegurou Cadete de Matos, e também de todo o leilão, o presidente da Anacom sentiu respeito pela independência do regulador nos contactos que manteve com elementos do Executivo.

“Tem acontecido ao longo deste período situações em que me poderia ter considerado ofendido, situações de difamação e insultos. Mas tal é a nossa dedicação à causa pública que temos de ser resilientes e resistentes a essas situações”, continuou João Cadete de Matos, quando interrogado sobre se viu as declarações de António Costa como uma tentativa de condicionar a atuação do regulador.

Há uma semana, na Assembleia da República, António Costa disse que a Anacom “inventou o pior modelo de leilão possível” para o 5G, numa altura em que a fase principal se aproximava dos 200 dias de licitações. A venda acabou na quarta-feira, ao final do dia, gerando um encaixe de 566,8 milhões de euros para o Estado.

“Curaçau é país turístico, mas Anacom não esteve a fazer turismo”

O presidente da Anacom falou ainda das declarações de Adão Silva (PSD) esta semana, no debate do Orçamento do Estado para 2022, que brincou com o facto de Cadete de Matos ter estado em Curaçau: “O seu amigo bronzeia e diverte-se em Curaçau”, atirou o social-democrata ao primeiro-ministro, criticando o atraso no leilão do 5G.

João Cadete de Matos disse ter achado “ultrajante” as referidas declarações, justificando a viagem a Curaçau com o presidir de uma conferência sobre o futuro do setor postal: “Curaçau é um país turístico, mas Anacom não esteve a fazer turismo”, respondeu. Revela ter ponderado apresentar queixa por difamação, mas acabou por não o fazer.

(Notícia atualizada pela última vez às 13h00)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Nunca ponderei demitir-me”, diz presidente da Anacom após críticas do primeiro-ministro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião