Exportações de bens crescem 4,8% até setembro face a 2019

Entre janeiro e setembro deste ano, as empresas portuguesas exportaram mais 20,1% do que no período homólogo em 2020 e 4,8% face ao período homólogo em 2019, antes da crise pandémica.

As exportações de bens mantiveram um desempenho positivo em setembro ao crescer 10,3% face ao mês homólogo. No período acumulado de janeiro a setembro deste ano, as empresas portuguesas exportaram mais 20,1% do que no período homólogo em 2020 e 4,8% face ao período homólogo em 2019, antes da crise pandémica. Os dados foram divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“No período acumulado de janeiro a setembro de 2021, relativamente ao mesmo período de 2019, verificou-se um aumento de 4,8% nas exportações (+20,1% face ao mesmo período de 2020) e um decréscimo de 1,5% nas importações (+18,1% face a 2020)“, revela o gabinete de estatísticas no comunicado. No caso das importações de bens, é de notar que estas continuam abaixo do nível pré-pandemia.

Em termos do tipo de bens, são os fornecimentos industriais que mais crescem em termos percentuais (+9,4%) neste período face a 2019 e a 2020 (26,3%). No caso das importações, também há um aumento expressivo nessa categoria: +16,4% face a 2019 e +32,4% face a 2020.

Já o material de transporte, nomeadamente carros, é o que mais contrai face a 2019 tanto nas exportações como nas importações, apesar de apresentar um crescimento na comparação com 2020.

É ainda de assinalar que, no período acumulado entre janeiro e setembro, as importações de combustíveis e lubrificantes continua abaixo dos valores de 2019, apesar de estarem significativamente acima de 2020.

O saldo acumulado da balança comercial está a deteriorar-se face a 2020, um ano atípico, mas continua melhor do que os valores registados em 2019 uma vez que as exportações de bens estão a crescer e as importações de bens estão a encolher.

Exportações crescem 10,3% em setembro face a 2020 e 10,8% face a 2019

Isolando o mês de setembro, as exportações de bens cresceram 10,3% face a 2020 e 10,8% face a 2019. Já as importações de bens aumentaram 17,5% face a 2020 e 7,8% face a 2019. Estes dados representam uma desaceleração face aos crescimentos registados em agosto deste ano.

“Excluindo Combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações aumentaram 7,8% e 10,2%, respetivamente (+13,1% e +16,3%, pela mesma ordem, em agosto de 2021)”, acrescenta o INE, referindo que em comparação com setembro de 2019 registam-se acréscimos de 9% nas exportações e de 5,9% nas importações.

Face a 2020, o défice da balança comercial de bens subiu 559 milhões de euros em setembro, atingindo os 1.719 milhões de euros. Porém, este défice encolhe 13 milhões de euros face a setembro de 2019. “Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice atingiu 1 061 milhões de euros”, nota o gabinete de estatísticas.

Isolando o terceiro trimestre de 2021 (de agosto a setembro), as exportações e as importações de bens cresceram 12,4% e 20,2% face ao mesmo período de 2020. Já face a 2019, a subida é de 9% e de 5,4%, o que mostra que as importações têm vindo a crescer cada vez mais à medida que o ano avança.

(Notícia atualizada às 11h39 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Exportações de bens crescem 4,8% até setembro face a 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião