87% dos portugueses querem comer alimentos mais amigos do planeta

  • Capital Verde
  • 17 Novembro 2021

Um inquérito realizado em nove países europeus revelou que a grande maioria dos portugueses (79%) dizem que as opões sustentáveis são caras.

O Eat4Change, uma iniciativa internacional que promove hábitos alimentares sustentáveis que contribuam de forma positiva para a saúde dos cidadãos e do planeta, realizou um inquérito em nove países europeus, cuja conclusão demonstra que a maior parte dos inquiridos quer ter uma alimentação sustentável.

87% dos portugueses inquiridos acreditam que se deve consumir alimentos mais amigos do planeta, mas 79% consideram que as opções sustentáveis são demasiado caras.

Os portugueses inquiridos mostram-se também preocupados com os impactos ambientais causados pelos alimentos produzidos e consumidos em grande escala como a poluição (94%), a perda de biodiversidade (94%), a destruição de habitats (93%), o aquecimento global (94%) e as alterações na qualidade de lagos, rios e oceanos (94%).

Os nove países que responderam ao inquérito foram Áustria, Bélgica, Suécia, França, Grécia, Finlândia, Estónia, Portugal e Reino Unido.

Este inquérito revela, também, que os outros países europeus estão preocupados com os mesmos temas, como a poluição (80%), a perda de biodiversidade (79%), a destruição de terras (78%), o aquecimento global (77%) e as alterações na qualidade dos lagos, dos rios e dos oceanos (77%).

Enquanto a nível europeu, 52% dos inquiridos considerarem que os alimentos que produzimos e consumimos têm um impacto negativo sobre o ambiente, esse número sobe para 65% em Portugal.

“Estamos num sistema claramente em desequilíbrio que reflete o sistema económico desigual. O equilíbrio alimentar tem impactos na saúde pública, ambiental e até económica. O ser local, sazonal e mediterrânico não é oco e faz falta”, destacou a secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa na apresentação da iniciativa internacional

Para fomentar esta consciencialização do impacto que as refeições têm no planeta, foi criado, em maio de 2020, o projeto Eat4Change, que tem como principal objetivo promover a transição para dietas sustentáveis até abril de 2024, através da parceria com empresas e autoridades, a fim de adotar práticas de produção e consumo mais sustentáveis.

“O nosso objetivo é que, daqui a cinco anos, os portugueses comam de forma diferente” para ter “uma melhor saúde mental e física”, bem como “uma melhor natureza”, afirmou a diretora executiva da ANP|WWF, Ângela Morgado.

A iniciativa, que tem como principal público-alvo jovens entre os 15 e 35 anos, é financiada pelo programa da Comissão Europeia Development Education and Awareness Raising (DEAR), coordenada pela WWF Finlândia e implementada em conjunto com doze parceiros: ANP|WWF, AIESEC, WWF European Policy Office, Estonian Fund for Nature, Fundación Vida Silvestre Argentina e vários escritórios da WWF (Áustria, Bélgica, Brasil, França, Grécia, Reino Unido e Suécia).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

87% dos portugueses querem comer alimentos mais amigos do planeta

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião