Nova variante do coronavírus derruba bolsas europeias. Galp e BCP caem 5%

Uma nova variante do coronavírus detetada no Botswana está a desencadear quedas superiores a 3% nas bolsas por toda a Europa. Lisboa não escapa à "maré vermelha".

As bolsas europeias estão sob forte pressão vendedora esta sexta-feira. Os investidores estão receosos quanto à nova variante do coronavírus detetada no Botswana, que está a resultar num novo aumento das infeções em alguns países africanos e já levou o Reino Unido a aplicar restrições nas viagens com origem nos mesmos.

Pela Europa, o Stoxx 600 recua 3%, assim como o britânico FTSE 100. O francês CAC-40 cede 3,86%, o alemão DAX recua 3,24% e o espanhol IBEX-35 desvaloriza 4,14%. Estas perdas bastante acentuadas acontecem num dia em que a sessão nos EUA vai ser mais curta do que o habitual no rescaldo do Thanksgiving e a liquidez é tendencialmente menor.

O PSI-20 não escapa a esta “maré vermelha” e arranca a última sessão da semana a cair 2,84%, para 5.408,87 pontos, com o setor da banca e da eletricidade a serem os mais penalizados.

O BCP recua 5,57%, para 14,07 cêntimos, enquanto a Galp Energia perde 5,06%, para 8,37 euros. A petrolífera portuguesa também está a ser penalizada pela queda das cotações do petróleo nos mercados internacionais. O Brent, referência para as importações nacionais, desvaloriza 4,37%, para 78,59 dólares o barril, enquanto o WTI recua 5,5%, para 74,08 dólares.

Galp Energia sob forte pressão na bolsa:

Ainda pelo setor energético, a a EDP Renováveis desvaloriza 1,50% para 22,34 euros, enquanto a EDP cai 2,76%, para 4,787 euros. Já a REN cede 1,41%, para 2,45 euros.

Entre os “pesos pesados”, nota ainda para as desvalorizações da Jerónimo Martins e da Nos. Os títulos da retalhista que detém o Pingo Doce cedem 1,69%, para 19,21 euros, enquanto as ações da empresa de telecomunicações desvalorizam 2,35%, para 3,318 euros.

Nota ainda para o setor da pasta e do papel, bastante influenciados pelo contexto internacional. A Navigator recua 3,47%, para 3,114 euros; a Semapa cede 4,22%, para 11,34 euros; e a Altri desvaloriza 3,98% para 4,878 euros.

Estas quedas acompanham a pressão sentida nos mercados asiáticos. Em causa está uma nova variante do coronavírus que apresenta mais de três dezenas de mutações na proteína “spike”. A imprensa dá conta de indícios de que estará na base de aumentos de infeções em continentes no sul africano, incluindo África do Sul. A Comissão Europeia anunciou esta sexta-feira de manhã que vai propor restrições às viagens de e para alguns desses países.

A correção dá-se ainda num dia de, tipicamente, menor liquidez. No rescaldo do feriado do Dia de Ação de Gaças, os mecados em Wall Street vão encerrar três horas mais cedo, às 18h00 em Lisboa.

(Notícia atualizada pela última vez às 8h59)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nova variante do coronavírus derruba bolsas europeias. Galp e BCP caem 5%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião