Nas notícias lá fora: Fed, China e Petrobras

  • ECO
  • 2 Dezembro 2021

O livro bege da Fed descreve que a economia norte-americana cresceu num ritmo "modesto a moderado". Na Turquia, o ministro das Finanças demite-se devido ao crash da lira.

Na imprensa internacional esta quinta-feira destaca-se a descrição da economia norte-americana feita pela Fed no livro bege, a demissão do ministro das Finanças turco por causa do crash da lira e a intenção da Repsol de vender 25% da sua filial de energias renováveis. Nota ainda para a WTA que suspendeu os torneios na China após caso da tenista Peng Shuai e para o ministro da Economia brasileiro que insiste em incluir a Petrobras no plano de privatização.

Wall Street Journal

Economia americana cresceu num ritmo “modesto a moderado”, diz Fed

A Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) considera que a economia do país cresceu a um ritmo “modesto a moderado” em outubro e início de novembro, de acordo com o Livro Bege. “A atividade económica cresceu a um ritmo modesto a moderado na maioria dos distritos da Reserva Federal durante outubro e início de novembro. Alguns distritos notaram que, apesar da forte procura, o crescimento foi constrangido por disrupções na cadeia de oferta e escassez de mão-de-obra”, pode ler-se no documento. Quanto ao emprego, o crescimento “foi de modesto a forte entre os vários distritos da Reserva Federal”, tendo sido reportada “uma procura robusta por trabalho mas uma dificuldade persistente em contratar e reter trabalhadores”, segundo a instituição que atua como banco central dos Estados Unidos.

Leia a notícia completa no The Wall Street Journal (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Cinco Días

Repsol retoma venda de 25% da sua filial de renováveis

A petrolífera espanhola retomou a venda de até 25% da sua filial de renováveis, de acordo com fontes financeiras citadas pelo Cinco Días. Os valores preliminares da filial apontam para uma avaliação de quatro mil milhões de euros. O objetivo da Repsol é ter um parceiro como sócio para depois dispersar o restante capital em bolsa, além de abrir a porta a investidores minoritários para projetos específicos de energia solar e eólica. O banco norte-americano JP Morgan é quem esta a tratar do processo, mas ainda não houve manifestações de interesse. Também esteve em cima da mesa a hipótese de ceder mais do capital, até 40%, mas nesse caso a petrolífera espanhola ficaria com menos poder de decisão.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Financial Times

Ministro turco das Finanças demite-se devido ao crash da lira

O ministro turco das Finanças, Lutfi Elvan, o último membro do Executivo defensor da ortodoxia económica, apresentou a demissão e já foi substituído por Nureddin Nebati, um elemento leal ao Presidente Recep Tayyip Erdogan. a saída de Elvan surge depois de uma queda abrupta da lira e após semanas de rumores de que pretendia abandonar o cargo. Nebati que foi durante três anos vice-ministro das Finanças disse que a Turquia está há anos a tentar implementar uma política de baixas taxas de juro, mas sempre enfrentou forte oposição à ideia. “Desta vez estamos determinados em implementá-la”, escreveu o novo ministro no Twitter, acrescentando que não há “qualquer problema” em manter as taxas de juro baixas nas atuais condições de mercado.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês)

CNN

WTA suspende torneios na China após caso da tenista Peng Shuai

A WTA suspendeu oficialmente os torneios do circuito previstos para a China, na sequência do caso da tenista Peng Shuai, que acusou, em novembro, um ex-membro do Governo chinês de abuso sexual. “Não vejo como os nossos atletas possam competir lá, enquanto a Peng Shuai não puder comunicar livremente e foi pressionada para negar as suas denúncias de abusos sexuais”, disse Steve Simon, presidente da Associação de Ténis Feminino. A tenista, de 35 anos, revelou, no início de novembro, ter sido abusada sexualmente pelo ex-vice-primeiro-ministro Zhang Gaoli, numa publicação que foi imediatamente retirada da rede social chinesa Weibo. Apesar de ter reaparecido em 21 de novembro e de já ter falado, por videoconferência, com o presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, a WTA levanta dúvidas quanto à liberdade da atleta.

Leia a notícia completa na CNN (acesso livre, conteúdo em inglês)

Valor Econômico

Ministro da Economia insiste em incluir a Petrobras no plano de privatização

O ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, insiste que o plano de privatização do Governo deve incluir a petrolífera estatal Petrobras porque “o futuro é verde” e o petróleo terá “valor zero” em alguns anos. “A Petrobras não satisfaz ninguém e é uma bomba para o Governo”, declarou Guedes num evento virtual com outras autoridades e no qual defendeu que “o mundo caminha para uma economia verde e digital.” A possível privatização da empresa, controlada pelo Estado brasileiro, mas com capital misto e cujas ações estão cotadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madrid, começou a ser cogitada pelo próprio Presidente, Jair Bolsonaro, há meses. Segundo Bolsonaro, essa ideia responde aos fortes aumentos dos preços dos combustíveis, que já acumulam uma subida de perto de 50% este ano, que, juntamente com outros fatores, tem afetado sua popularidade.

Leia a notícia completa no Valor Econômico (acesso pago)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Fed, China e Petrobras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião