Wall Street recupera, mas Tesla cai 5% com investigação da SEC

Após uma semana de quedas expressivas, a preocupação com a Ómicron acalmou e, por isso, os principais índices de Wall Street estão a valorizar. Porém, a Tesla está a cair mais de 5%.

Os principais índices norte-americanos estão a recuperar de uma semana pesada influenciada pela evolução da pandemia e da política monetária nos Estados Unidos. As cotadas que mais valorizam são as que mais beneficiam do menor nível de restrições, como é o caso das transportadoras aéreas, entre outras.

No arranque desta segunda-feira, o Dow Jones sobe 0,15%, para 34.633,43 pontos; o S&P 500 valoriza 0,22%, para 4.548,37 pontos; e o Nasdaq avança 0,21%, para 15.117,63 pontos.

O Dow Jones consegue, assim, recuperar do maior ciclo semanal de perdas em um ano — a quarta queda semanal, o que não acontecia desde setembro de 2020 — provocado pela incerteza relacionada com a variante Ómicron. Face aos máximos alcançados em novembro, o Dow negoceia 5% abaixo, o Nasdaq 6% e o S&P 500 3,7%.

As indicações preliminares dadas pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos sugerem que a Ómicron é menos perigosa do que a Delta, que é altamente contagiosa. Estes sinais estão a acalmar os investidores neste início da semana.

Porém, o setor tecnológico — com alguns analistas a considerar que estas cotadas estão sobrevalorizadas — está a ficar para segundo plano neste momento, penalizado também por algumas notícias relacionadas com gigantes tecnológicas.

É o caso da Tesla, com a Reuters a adiantar que o regulador dos mercados (SEC, equivalente à CMVM em Portugal) abriu uma investigação à empresa de Elon Musk. Em causa, uma queixa de um denunciante, que afirma que a Tesla não alertou suficientemente os acionistas e clientes sobre o risco de incêndio associado aos seus painéis solares. A cotada está a desvalorizar mais de 5% neste início de sessão.

É de notar que este fim de semana foi de volatilidade e quedas expressivas no mercado dos criptoativos, com a bitcoin a negociar abaixo dos 49 mil dólares, tendo chegado a negociar nos 43 mil dólares, o que representava uma queda de cerca de 30% face ao máximo de 69 mil dólares alcançado no início de novembro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Wall Street recupera, mas Tesla cai 5% com investigação da SEC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião