Lisboa fecha em alta com EDP Renováveis a valorizar quase 3%

Lisboa terminou a sessão de quarta-feira no "verde", acompanhando a tendência positiva registada nas demais praças do Velho Continente.

Em linha com as demais praças do Velho Continente, a bolsa de Lisboa fechou a segunda sessão da semana em “terreno positivo“. Entre as cotadas que registaram ganhos mais expressivos, esteve a EDP Renováveis, cujos títulos subiram quase 3%, e a Jerónimo Martins, que ganhou quase 2%.

Esta terça-feira, o PSI-20 valorizou 1,04% para 5.567,680 pontos, seguindo a tendência positiva registada nas restantes praças europeias. O STOXX 600 subiu 2,46% para 480,23 pontos, o francês CAC 40 ganhou 2,86% para 7.062,41 pontos, o alemão DAX somou 2,87% para 15.821,93 pontos e o espanhol IBEX avançou 1,39% para 8.557,00 pontos. Os mercados estiveram a recuperar depois de as autoridades norte-americanas terem indicado que a nova variante do coronavírus, a Ómicron, pode não ser tão preocupante como se antecipava.

Por cá, destaque para a EDP Renováveis, cujos títulos somaram 2,86% para 22,28 euros. Ainda na energia, as ações da EDP ganharam 0,72% para 4,868 euros, mas as da Greenvolt caíram 0,92% para 6,43 euros e as da Galp Energia recuaram 0,52% para 8,754 euros. Isto mesmo num dia em que, em Londres, o Brent valorizou quase 3%.

No retalho, os títulos da Jerónimo Martins avançaram 1,96% para 19,985 euros, dando ânimo à bolsa de Lisboa. E os da Sonae valorizaram 1,36% para 0,9655 euros.

O dia foi também de ganhos para as papeleiras: as ações da Semapa subiram 1,55% para 11,8 euros, as da Navigator ganharam 1,51% para 3,232 euros e as da Altri somaram 1,51% para 5,365 euros. Mas foi mesmo a Ramada Investimentos a liderar os ganhos, nesta sessão. Os títulos desta cotada disparam 7,27% para 7,08 euros.

Já do outro lado da linha de água, destaque para o BCP, cujos títulos recuaram 0,14% para 0,1477 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa fecha em alta com EDP Renováveis a valorizar quase 3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião