Vacinação das crianças não vai tirar lugar aos adultos, garante Graça Freitas

Graça Freitas disse estar à espera de uma "adesão progressivamente boa" ao processo de vacinação das crianças dos cinco aos 11 anos, tal como aconteceu com as crianças de 12 anos.

A vacinação das crianças não vai tirar lugar aos adultos que podem ser reprogramados para dias anteriores”, garantiu esta segunda-feira a diretora geral da Saúde, Graça Freitas, em entrevista à RTP.

No dia em que chegaram a Portugal as primeiras doses pediátricas da vacina contra a Covid-19, Graça Freitas lembrou que Portugal tem garantidas um milhão e meio de doses, apesar da população infantil ser pouco mais de 640 mil. “Temos cerca de 640 mil crianças. Já se sabe que vamos adquirir um milhão e meio de vacinas pediátricas por isso vamos ter capacidade para vacinar todas as crianças com as duas doses que são necessárias”, garantiu a responsável. As vacinas que sobrarem serão usadas em “mecanismos de doação para outros países”. “Portugal vai adquirir mais vacinas do que a população pediátrica entre os cinco e os 11 anos, porque temos feito sempre esse percurso”, explicou.

À chegada do primeiro carregamento de 300 mil doses pediátricas (e mais 500 mil para adultos) esta segunda-feira em Arazede, o secretário de Estado da Saúde escusou-se a definir uma meta para a vacinação das crianças dos cinco aos 11 anos, lembrando a “consciência cívica dos portugueses” e que tem “ultrapassado as expectativas”. “Continuamos na expectativa de superar as nossas expectativas e de que vamos ter uma grande adesão dos pais”, disse Lacerda Sales, aproveitando para anunciar que ficou disponível o regime de casa aberta para os maiores de 70 anos e de autoagendamento para os maiores de 65 anos.

Graça Freitas, na RTP, frisou que “o processo de vacinação como um todo não fica comprometido” porque o país está a dedicar vários fins de semana à vacinação de crianças. De acordo com o calendário apresentado por Lacerda Sales, na sexta-feira, de 6 a 9 de janeiro serão vacinadas crianças entre os 9 e os 7 anos, ficando reservados os dias 15 e 16 para vacinar o grupo dos 6 e 7 anos, enquanto a 22 e 23 deste mês serão vacinadas as crianças de 5 anos. Sendo que o autoagendamento se inicia esta segunda-feira. Graça Freitas disse estar à espera de uma “adesão progressivamente boa” tal como aconteceu com as crianças de 12 anos.

O reforço da vacina das “pessoas com a Jassen foi adiantado para esta quinta e sexta-feira”, frisou a diretora-geral da Saúde. “Para estas e as pessoas adultas que estariam agendadas para esses fins de semana têm oportunidade de vir nos dias anteriores”, acrescentou, garantindo que o país tem “capacidade para dar resposta a essa antecipação” porque presentemente estão a ser vacinadas, em média, 70 mil pessoas, mas essa fasquia pode ser aumentada, disse.

Graça Freitas apelou ainda a que neste período de Natal, os mais idosos vão fazer o reforço da vacinação, que os pais adiram à vacinação, porque esta “tem benefício para a criança, com vantagens diretas na sua saúde física mental e social”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Vacinação das crianças não vai tirar lugar aos adultos, garante Graça Freitas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião