Nas notícias lá fora: Centrais nucleares, Reddit e Apple

  • ECO
  • 16 Dezembro 2021

Após nove meses de negociações, há um novo Governo na Holanda e o acordo de coligação prevê a construção de novas centrais nucleares. Nos EUA, a rede social Reddit prepara a entrada em bolsa.

Num ano que tem sido rico em entradas em bolsa, o Reddit prepara-ese para fazer o mesmo em 2022. Na Holanda, há um novo Governo que quer construir mais duas centrais nucleares. Em Nova Iorque, o Goldman Sachs está a proibir a realização de festas por causa da Covid-19, enquanto a Apple adiou indefinidamente o regresso aos escritórios.

Reuters

Reddit avança com IPO em 2022

O Reddit quer entrar na bolsa. A rede social entregou um pedido confidencial para avançar com uma Oferta Pública Inicial (IPO) em 2022 nos EUA. O Reddit, que foi criado em 2005, foi avaliado em cinco mil milhões de dólares numa ronda de financiamento privado no início deste ano, mas em setembro a Reuters noticiava que a expectativa era de uma avaliação de 15 mil milhões de dólares após um eventual IPO. A empresa também tem crescido por causa dos investidores de retalho, tendo sido a plataforma onde se gerou fenómenos como a GameStop e as “meme stocks“.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre/conteúdo em inglês).

Politico.eu

Acordo de Governo na Holanda prevê mais centrais nucleares

A Holanda vai construir mais duas centrais de energia nuclear, além de prolongar a vida de uma central nuclear já existente, para atingir metas climáticas mais ambiciosas, segundo o acordo de coligação do novo Governo holandês conhecido na quarta-feira. A coligação será liderada pelo atual primeiro-ministro liberal do VVD, Mark Rutte, e contará com os centristas do D66, os cristãos democratas do CDA e a União Cristã, após nove meses de negociações. O objetivo do país será chegar a 2030 com uma redução de “pelo menos” 55% das emissões de dióxido de carbono face aos níveis de 1990. Haverá ainda um fundo para a transição climática no valor de 35 mil milhões de euros.

Leia a notícia completa no Politico (acesso livre/conteúdo em inglês).

Financial Times

Goldman Sachs obriga banqueiros a cancelarem festas

As chefias do Goldman Sachs querem que os funcionários voltem aos escritórios, mas estão a limitá-los nas festividades internas. Com o aumento do número de casos por Covid-19 em Nova Iorque, o banco de investimento norte-americano está a pedir para que se cancelem jantares, festas ou outros eventos. A preocupação com a variante Ómicron também fez soar os alarmes e levou ao regresso da obrigação de usar máscara em sítios fechados em todo o Estado de Nova Iorque. Se o Goldman Sachs está a ser mais conservador, o mesmo não se pode dizer do JPMorgan Chase e Morgan Stanley, que estão a permitir as festas das suas equipas.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago/conteúdo em inglês).

Bloomberg

Apple adia indefinidamente regresso aos escritórios

Face ao ressurgimento de infeções de Covid-19 e à nova variante Ómicron, que é mais transmissível, a Apple está a adiar o seu regresso aos escritórios, previsto para 1 de fevereiro, para uma “data ainda por determinar”. A decisão já foi adiada por várias vezes, à semelhança do que acontece com a Microsoft, que também tem adiado a data de regresso dos funcionários às instalações.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso pago/conteúdo em inglês).

Reuters

Migrantes privados de vacinas porque farmacêuticas receiam processos

De acordo com funcionários e documentos internos da Aliança Global para as Vacinas (GAVI), analisados pela Reuters, dezenas de milhões de migrantes podem ser privados das vacinas contra a Covid-19 fornecidas através do mecanismo COVAX pelo facto de algumas das farmacêuticas recearem riscos legais por causa de eventuais efeitos secundários nocivos. Quando os requerentes de doses, principalmente as ONG, não podem suportar riscos legais, as entregas a partir da COVAX só podem ser feitas se os fabricantes de vacinas aceitarem a responsabilidade, explica a GAVI. Até agora, apenas cerca de 7% das pessoas de países de baixos rendimentos foram vacinadas com uma dose.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso pago/conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Centrais nucleares, Reddit e Apple

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião