Brent perto dos 84 dólares, em máximos de dois meses

Este desempenho acontece numa altura em que aumentam as esperanças de que a evolução da Ómicron não prejudique a recuperação da procura mundial.

Os preços do petróleo estão a tocar acima dos 80 dólares esta terça-feira, naquela que é a cotação mais alta desde novembro. Este desempenho da matéria-prima acontece numa altura em que a oferta é mais escassa e em que aumentam as esperanças de que a evolução da Ómicron não prejudique a recuperação da procura mundial.

O barril de Brent, que serve de referência às importações nacionais, está a valorizar 3,33% para 83,56 dólares, enquanto o West Texas Intermediate (WTI), negociado no Texas, avança 3,76% para 81,17 dólares. São as cotações mais altas desde inícios de novembro.

Evolução da cotação de Brent desde julho de 2021.Reuters

Durante todo o ano de 2021, o barril de Brent valorizou mais de 50%, tendo recuperado ainda mais desde início de 2022, diz a Reuters (conteúdo em inglês). A contribuir para este desempenho está o facto de os investidores estarem à espera de uma procura forte por petróleo, enquanto a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e os seus aliados diminuem lentamente os cortes de produção feitos em 2020.

As recentes interrupções na produção de petróleo na Líbia — que tem as maiores reservas de petróleo de África — também apoiaram os preços da matéria-prima, levando a National Oil Corp a anunciar que vai suspender as exportações do terminal de Es Sider.

“A maior produção de petróleo no país [na Líbia] ainda não se traduziu diretamente num aumento na oferta disponível”, diz Carsten Fritsch, analista do Commerzbank. “Isso pode explicar porque é que os preços ainda não reagiram à reabertura dos campos petrolíferos líbios”.

Os analistas esperam que os últimos relatórios sobre o stock de ouro negro dos Estados Unidos mostrem que o stock tenha caído em cerca de dois milhões de barris. O primeiro dos relatórios de fornecimento desta semana, do American Petroleum Institute (API), deve ser entregue esta terça-feira.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Brent perto dos 84 dólares, em máximos de dois meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião