Mais de metade das casas em Portugal vale menos de 50 mil euros

  • ECO
  • 18 Janeiro 2022

Há quase 6,5 milhões de habitações registadas nas Finanças, das quais quase 3,4 milhões valem menos de 50 mil euros. Contam-se ainda 2.937 avaliadas em mais de um milhão.

Mais de metade das casas registadas nas Finanças em Portugal estão avaliadas em menos de 50 mil euros, sendo que a maioria desse universo está localizada em territórios do Interior, avança o Jornal de Notícias (acesso pago), citando dados do Ministério das Finanças. Os registos dão ainda conta de 2.937 imóveis a valerem mais de um milhão de euros.

Os números mostram que há mais de 6,5 milhões de habitações registadas em todo o país, das quais quase 3,4 milhões (51,8%) têm um valor patrimonial tributável abaixo dos 50 mil euros. A maioria destas casas com baixa avaliação está localizada em territórios do interior, com destaque para os concelhos de Alcoutim, Corvo e Mértola, que concentram 96% do total.

No lado oposto, Cascais e Albufeira — ambos com uma fatia de 23% de casas a valerem menos de 50 mil euros –, são os concelhos onde há menor proporção entre casas “caras” e “mais baratas”. Os registos dão ainda conta de 2.937 casas a valerem mais de um milhão de euros, distribuídas por 132 dos 308 concelhos do país. A maioria está localizada nos concelhos de Lisboa (714), Cascais (395) e Loulé (326).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mais de metade das casas em Portugal vale menos de 50 mil euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião