Número de desempregados inscritos no IEFP sobe depois de oito meses a cair

Dezembro trouxe um "aumento ligeiro" do desemprego registado, indicam dados do IEFP. Subida interrompe trajetória decrescente que vinha sendo registada há oito meses.

No último mês de 2021, o número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) subiu 0,6% em cadeia, interrompendo a trajetória decrescente que vinha sendo registada há oito meses.

“No fim do mês de dezembro de 2021, estavam registados nos serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 347.959 indivíduos desempregados. O total de desempregados registados no país foi inferior ao verificado no mesmo mês de 2020 (-54.295; -13,5%) e superior face ao mês anterior (+2.075; +0,6%)”, indica a nota divulgada esta quinta-feira.

Desemprego registado estava a cair há oito meses. Em dezembro, subiu

Fonte: IEFP

Em reação, o Ministério do Trabalho sublinha que “é habitual” existir um aumento do desemprego registado entre novembro e dezembro”. Desde 2008, indica o gabinete de Ana Mendes Godinho, tal ocorreu em dez do total de 14 anos.

A nível regional, o desemprego registado diminuiu, em termos homólogos, em todas as regiões, com destaque para o Algarve, onde se verificou uma queda de 21,5%, e da Madeira, onde foi registado um recuo de 28%. Também em cadeia, a maioria das regiões viu o número de desempregados inscritos decrescer, mas o Alentejo, o Algarve e os Açores registaram aumentos de 3,2%, 10,4% e 0,9%, respetivamente.

Já a nível setorial, dezembro trouxe descidas do desemprego registado à generalidade dos setores de atividades. “A desagregação por atividade económica permite observar que todas registaram descidas, em termos homólogos, sendo as variações mais significativas registadas, por ordem decrescente, em: “Indústria do couro e dos produtos do couro” (-30%); “Alojamento,
restauração e similares” (-25%); “Indústria do vestuário” (-20,7%)”; “Fabrico do equipamento informático, elétrico, máquinas e equipamentos, n.e”(-19,2%) e “Indústrias alimentares das bebidas e do tabaco”(-18,9%), detalha o INE.

O Ministério do Trabalho sublinha, por outro lado, que o desemprego jovem (pessoas com menos de 25 anos) registou uma diminuição de 5,1% face a novembro e uma quebra de 25,3% face ao período homólogo. Tal significa que em dezembro de 2021 havia 36.157 jovens desempregados.

Também o número de desempregados de longa duração diminuiu. “Registou-se uma diminuição de 0,5% entre novembro e dezembro” para 171.074 desempregados de longa duração“, realça o gabinete de Ana Mendes Godinho.

Já o número de ofertas de emprego por satisfazer no final do mês de dezembro subiu 46,8% em termos homólogos, mas desceu 27% em cadeia, totalizando 15.941 vagas.

É importante notar que em dezembro o país começou a verificar um agravamento da pandemia alimentado pela variante Ómicron, que tende a ser mais transmissível, embora provoque sintomas menos severos. Este cenário levou o Governo a decretar, a partir do dia 25 desse mês, o encerramento de uma série de atividades, como bares, discotecas e creches, e a endurecer as restrições.

(Notícia atualizada pela última vez às 11h53)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Número de desempregados inscritos no IEFP sobe depois de oito meses a cair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião