Portugal regista mais 43 mortes e 58.131 casos de Covid

  • ECO
  • 22 Janeiro 2022

Desde o início da pandemia, o país soma mais de 2,18 milhões de casos. Até ao momento, contam-se 1,7 milhões de pessoas recuperadas da doença.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) identificou 58.131 novos casos de infeção por coronavírus, elevando para 2,18 milhões o número de infetados desde o início da pandemia. O boletim deste sábado indica ainda que, nas últimas 24 horas, morreram 43 pessoas com a doença, perfazendo um total de 19.539 óbitos desde a chegada do coronavírus ao país.

Do número total de infetados, a esmagadora maioria está a fazer o tratamento em casa, sendo que 2.027 (-17) pessoas estão internadas em unidades hospitalares, das quais 154 (-8) estão nos cuidados intensivos. Há mais de 452 mil sob vigilância das autoridades de saúde, por terem estado em contacto com outras pessoas entretanto diagnosticadas com a doença.

O número de recuperados está, atualmente, nos 1.701.896, mais 26.160 pessoas face ao balanço anterior. Portugal regista ainda 454.821 casos ativos.

Boletim epidemiológico de 22 de janeiro

A região do Norte foi aquela que concentrou a maioria das novas infeções registadas nas últimas 24 horas. Dos 58.131 novos casos registados em todo o país, 25.255 foram nesta região, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo com 17.165.

(Notícia atualizada às 14h38 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal regista mais 43 mortes e 58.131 casos de Covid

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião