Djokovic e Sérvia minam exploração de lítio da anglo-australiana Rio Tinto

  • Filipe Maria
  • 24 Janeiro 2022

Uma semana depois das autoridades australianas indeferirem o recurso de Djokovic, a Sérvia anulou as licenças de exploração de lítio da mineira anglo-australiana Rio Tinto na zona de Jadar.

A Sérvia anulou as licenças de exploração de lítio da mineira Rio Tinto em resposta a protestos ambientalistas, avançou a Reuters (acesso condicionado / conteúdo em inglês) na passada quinta-feira. A decisão foi anunciada uma semana depois das autoridades australianas indeferirem o recurso do tenista sérvio, Novak Djokovic, contra uma ordem de deportação, implicando uma proibição de entrar na Austrália durante três anos.

Ana Brnabic, a primeira-ministra sérvia, esclareceu que a decisão do governo surgiu em resposta a vários pedidos de grupos ambientalistas, exigindo o fim do projeto de exploração das reservas de lítio em Jadar, avaliadas em cerca de ou 2,1 mil milhões de euros. “Todas as decisões e todas as licenças foram anuladas”, disse Brnabic, acrescentando que “no que diz respeito ao projeto Jadar, isto é um fim”.

O projeto faria da anglo-australiana Rio Tinto uma das dez principais produtoras de lítio no mundo, e a rejeição de Belgrado reduz as opções de fornecimento de baterias, para veículos elétricos, a nível europeu. Os grupos ambientalistas reivindicam que a exploração irá contaminar os rios locais, e em dezembro, Djokovic mostrou o seu apoio à causa através da rede social Instagram. A Rio Tinto mostrou-se “extremamente preocupada” com a decisão sérvia, e já informou estar a rever a base legal da mesma.

O projeto de Jadar iria estabelecer a maior mina de lítio na Europa, com uma produção anual de 58.000 toneladas de carbonato de lítio refinado, o suficiente para abastecer 1 milhão de veículos elétricos. A receita espectável seria de 1,9 mil milhões de euros, com base nos valores de mercado atuais para o lítio, avançou a CincoDías (acesso gratuito / conteúdo em espanhol).

A Volkswagen deverá investir 30 mil milhões de euros na produção de baterias para veículos elétricos, e embora a Austrália e o Chile sejam as maiores produtoras a nível mundial, 80% da oferta é controlada por empresas chinesas. Desde meados de 2021 que os preços do lítio aumentaram em seis vezes, indicando uma escassez de oferta.

Brnabic acusou a Rio Tinto de fornecer informação insuficiente às comunidades sobre o projeto, embora a empresa tenha negado as acusações em comunicado. Djokovic apoiou os grupos ambientalistas via publicação de histórias no Instagram, ao comentar uma fotografia dos protestos em defesa do “ar puro”, depois de milhares de pessoas bloquearem as estradas em manifestação contra o apoio do governo ao projeto.

O projeto de Jadar representa um esforço do governo sérvio para atrair investimento estrangeiro e estimular o crescimento económico. Com a anulação das licenças de exploração, Brnabic informou que o projeto será interrompido, pelo menos, até depois das eleições de abril.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Djokovic e Sérvia minam exploração de lítio da anglo-australiana Rio Tinto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião