Esta mala tem 135 anos de garantia. Tantos quanto os que faltam para pôr fim à desigualdade salarial

A mala foi criada pela Ownever para chamar a atenção para a desigualdade social, problema que, segundo o World Economic Forum, só terá fim daqui a 135 anos, em 2157.

2157. Poderia ser um número qualquer, mas é o ano em que o problema da desigualdade salarial chegará finalmente ao fim, segundo um estudo da World Economic Forum. Para chamar a atenção para este longo caminho de 135 anos, Eliana Barros, fundadora da Ownever, lançou um novo modelo de mala que tem gravado na lateral este ano. A mala tem também 135 anos de garantia, e foi distinguida pelos Prémios Lusófonos de Criatividade e pela agência SpringWise.

O objetivo deste produto é “alertar” para a desigualdade salarial. “Segundo um estudo do World Economic Forum, apenas existirá paridade entre salários de homens e mulheres em 2157. Nós já não estaremos cá quando se conseguir atingir essa igualdade e isso é assustador e muito triste”, confessa a empresária, em comunicado.

A mala foi premiada nos Prémios Lusófonos da Criatividade, um festival de publicidade que premeia trabalhos publicitários e de comunicação dos países de língua oficial portuguesa. “Foi uma bela surpresa ganhar uma medalha de prata na categoria de ‘Design de Produto’ e uma medalha de bronze na categoria de ‘Responsabilidade Social/Ambiental’ da empresa”, afirma Eliana Barros.

A portuguesa Ownever foi considerada ainda pela agência SpringWise como uma tendência 2022 em “Lifecycle Luxury” pela sua sustentabilidade e proposta slow fashion, a par de marcas internacionais como a Levi’s ou a Rubelli. “Ser um exemplo na área do luxo e da sustentabilidade é uma grande homenagem à Ownever. É um excelente reconhecimento do trabalho e, por isso, o balanço destes primeiros meses da marca é muito positivo”, assume.

Ainda este ano serão lançadas outras edições especiais. Sem querer avançar pormenores, a jovem designer adianta que os próximos modelos vão continuar na mesma linha. “Mais do que tudo são os nossos valores e só faz sentido ser assim. É mais fácil trabalhar naquilo em que acreditamos”, afirma.

A mala focada na desigualdade salarial é feita por artesãs portuguesas, à semelhança de todas as malas das marcas. Além disso, segue o padrão eco-friendly definido na Ownever, recorrendo a bio-leather.

Depois de ter estudado Design do Produto na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e ter trabalhado em marketing digital durante quatro anos, Eliana Barros decidiu dar o passo em março do ano passado, criando a própria marca, a Ownever.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Esta mala tem 135 anos de garantia. Tantos quanto os que faltam para pôr fim à desigualdade salarial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião