Governo já escolheu três consórcios para Bioeconomia Sustentável. Vão mobilizar 236 milhões de euros de investimentos

Prevê-se que os três consórcios agora selecionados, um por fileira -- têxtil e vestuário, calçado, e resina natural -- envolvam 160 parceiros e entidades empresariais.

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática anunciou que o Fundo Ambiental já escolheu os três consórcios que vão mobilizar nos próximos quatro anos investimentos de 236 milhões de euros para a Promoção da Bioeconomia Sustentável em Portugal.

Prevê-se que os três consórcios agora selecionados, um por fileira — têxtil e vestuário, calçado, e resina natural — envolvam 160 parceiros e entidades empresariais.

Na fileira do Têxtil e Vestuário foi selecionado o consórcio BE@T, liderado pelo CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, tendo a participação de 54 parceiros e um investimento de 132 milhões de euros.

O consórcio BioShoes4all, selecionado para a fileira do Calçado, é liderado pela APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e os seus sucedâneos, envolvendo 68 parceiros e um investimento de 75 milhões de euros.

Quanto à fileira da valorização da Resina Natural, foi selecionado o consórcio RN21, liderado pela ForestWISE – Laboratório Colaborativo para a gestão integrada da Floresta e do Fogo. Conta com 38 parceiros e prevê a mobilização de um investimento global de 29 milhões de euros.

Os consórcios selecionados são agora convidados a pormenorizar o Projeto Integrado até 3 de maio de 2022, prevendo-se que a assinatura do contrato ocorra em junho de 2022.

A componente “Bioeconomia Sustentável” do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) contempla 145 milhões de euros para a valorização dos recursos biológicos e desenvolvimento da bioindústria sustentável e circular.

São 71 milhões de euros para a fileira do têxtil e vestuário, 41 milhões de euros relativos à fileira do calçado e 17,5 milhões de euros dirigidos à fileira da resina natural.

O objetivo é promover a produção de produtos com alto valor acrescentado a partir de recursos biológicos, em alternativa às matérias de base fóssil.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo já escolheu três consórcios para Bioeconomia Sustentável. Vão mobilizar 236 milhões de euros de investimentos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião