Além do petróleo e gás, a Rússia dá cartas nestas matérias-primas

A invasão russa da Ucrânia atirou o valor de várias matérias-prima para máximos históricos, mas com uma ofensiva militar em marcha, as principais exportações russas arriscam subir de preço ainda mais.

A invasão russa da Ucrânia, e uma torrente de sanções internacionais a cair sobre a Rússia, deixa em risco o abastecimento de diversas minérios e matérias-primas. Elementos, como o níquel e o alumínio, estão em máximos históricos.

Além do petróleo e do gás natural, a Rússia tem um papel de relevo na exportação de diversos outros ativos. Face às sanções económicas já em vigor, e em função da eventualidade de uma terceira ronda de sanções europeias contra Moscovo, diversos ativos já começaram a subir de preço. Em seguida divulgamos uma lista de algumas das principais exportações russas, como paládio, platina e trigo.

 

Exportações russas em percentagem face à produção mundial. Fonte: JPMorgan

 

Paládio

A Rússia é o maior exportador de paládio a nível mundial com uma participação de 45,6% no mercado global. Embora o metal, usado na indústria automóvel e em joalharia, tenha desvalorizado esta sexta-feira cerca de 6,7% no mercado de futuros, para os 2.336,02 dólares a onça, este ativo valorizou cerca de 23% desde o início de janeiro, segundo dados da Investing.com. A Nornickel, empresa de mineração russa, é a maior produtora mundial de paládio.

Platina

À semelhança do paládio, a Nornickel é também uma das principais produtoras de platina na Rússia, tendo produzido cerca de 641.000 onças em 2021. Desde inícios de janeiro que o metal valorizou 8,6%, passando dos 970 dólares por onça, para os 1054 dólares.

Ouro

O ouro russo provém maioritariamente de empresas como a Polyus e a Polymetal, sendo que o país é o terceiro maior exportador a nível mundial, a seguir à Austrália e China. Segundo dados do World Gold Council, o ouro russo chegou às 3.500 toneladas em 2021.

Desde janeiro que este ativo de refúgio tem valorizado, com uma subida acentuada a partir do dia 28 desse mês. Enquanto o ouro estava nos 1.830 dólares a onça no início do ano, agora encontra-se nos 1.886 dólares com uma subida de 3%.

Petróleo

Apesar do barril de petróleo já se encontrar em subida à boleia da transição energética, esta subida é agora agravada com o confronto na Ucrânia. Desde o início do ano que o barril de Brent valorizou cerca de 18%, passando dos 79 dólares para os 93,5.

Gás

Após a interrupção da certificação do gasoduto Nord Stream 2 pela Alemanha, e a invasão russa, o mercado de gás natural começou de imediato a subir vertiginosamente. A Rússia exporta cerca de 6,2% do gás natural a nível mundial, contudo, o país fornece cerca de 40% do gás natural europeu, avança Reuters (acesso condicionado / conteúdo em inglês). Apesar do gás natural estar a desvalorizar cerca de 3,5% esta sexta-feira, desde o início do ano que aumentou cerca de 17,7% no mercado de futuro.

Níquel

O níquel russo provém maioritariamente da Nornickel, sendo que a empresa produziu cerca de 193.006 toneladas do componente em 2021. O minério usado na produção de aço inoxidável está hoje nos 24.680,50 dólares. Em janeiro o metal encontrava-se nos 21 mil dólares, pelo que sofreu uma valorização de 17%.

Trigo

As exportações de trigo proveniente da Rússia e da Ucrânia correspondem a um valor combinado de 29% das exportações globais. A cotação do trigo no mercado de futuros de Londres estava nas 219,70 libras por tonelada em inícios de janeiro, embora esteja agora nas 243,75 libras, uma subida de cerca de 11% com tendência para continuar.

Alumínio

A Rusal é a maior produtora de alumínio na Rússia e o seu preço já disparou para o valor mais alto da última década. Uma tonelada de alumínio esteve esta sexta-feira nos 3.406 dólares, um aumento de 0,34% desde a última sessão, mas um aumento de cerca de 20% desde os 2.834 dólares registados no início do ano.

Carvão

A Rússia exporta cerca de 3,5% de todo o carvão mundial, e embora a transição energética planeie eliminar progressivamente o seu uso, o carvão valorizou cerca de 51,5% desde o início do ano no mercado de futuros. Com este aumento, o carvão passou efetivamente dos 157 dólares para os 239 dólares no Newcastle Coal Futures.

Cobre

O cobre refinado russo correspondeu a cerca de 920.000 toneladas em 2021 segundo o United States Geological Survey (USGS), sendo que 406.841 toneladas vieram da Nornickel. As empresas de mineração UMMC e RCC são as maiores produtoras russas de cobre a seguir à Norcnickel, sendo que o país exporta principalmente para a Europa e Ásia. Desde o início do ano que o preço do cobre oscila com algumas subidas e descidas acentuadas, mas o seu valor desde então, no mercado de futuros, subiu cerca de 0,46% para os 4,48 dólares.

Prata

As exportações russas de prata equivalem a cerca de 2,6% da produção mundial, sendo que este metal desvalorizou cerca de 2,32% esta sexta-feira, face aos valores registados no dia anterior com o início da invasão. Apesar da descida, e à semelhança dos restantes ativos, a onça de prata chegou aos 24,115 dólares nesta sexta-feira, um aumento de 3,47% desde inícios de janeiro, altura em que rondava os 23,3 dólares.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Além do petróleo e gás, a Rússia dá cartas nestas matérias-primas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião