Corte na importação de fertilizantes vai fazer subir preço dos alimentos

  • ECO
  • 21 Março 2022

Índice revela cotações já superiores aos da última crise alimentar e energética. Suspensão das exportações russas de fertilizantes ameaça segurança alimentar e fazer disparar o preço dos alimentos.

O preço dos fertilizantes já subiu perto de 30% desde o início deste ano, de acordo com o índice elaborado pela consultora CRU e citado pelo Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês), que mostra inclusive que está agora acima dos valores registados durante a crise alimentar e energética provocada pelo disparo dos preços em 2008.

Os novos máximos estão a ser provocados pelo corte de fornecimento por parte da Rússia, que é o principal produtor e que este mês proibiu a venda ao exterior destes nutrientes agrícolas vitais para garantir a segurança alimentar. E que se soma às sanções também aplicadas à Bielorrússia e às restrições de exportação por parte da China, outros dois grandes países produtores.

Além de poder afetar a qualidade das colheitas, o disparo do preço dos fertilizantes vai aumentar os custos de produção a nível global, como advertiu a organização de consultoria agrícola britânica AHDB, sustentando que o rendimento dos agricultores será menor se “escolherem ou forem forçados a reduzir a aplicação” de nutrientes que contêm nitrogénio, fósforo e potássio.

Na semana passada, o bilionário russo que lidera a EuroChem, uma das cinco maiores empresas de fertilizantes do mundo, advertiu que a suspensão da cadeia de abastecimento pode provocar uma “crise alimentar global”, com Andrei Melnichenko a sentenciar à Reuters que “uma das vítimas desta guerra será a agricultura e a alimentação”.

A União Europeia é um dos principais importadores dos fertilizantes da Rússia, que asseguram perto de 15% da produção a nível mundial. Vários países, incluindo o Brasil, já defenderam no comité de segurança alimentar da ONU que estes produtos, tal como os da categoria dos alimentos, não devem ser incluídos na lista de sanções decretada pela guerra na Ucrânia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Corte na importação de fertilizantes vai fazer subir preço dos alimentos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião