Gerir pessoas “nunca é aborrecido, os temas e os dias nunca são iguais”, diz diretora de RH da Claranet Portugalpremium

Trocou uma carreira como programadora pelos recursos humanos. Mais do que o código, o que motiva Catarina Graça é alavancar os desafios de negócio através das pessoas. Agora... numa empresa tech.

Aceitou o desafio de ingressar na Claranet para gerir as cerca de 800 pessoas da fornecedora de tecnologias de informação especialista em soluções de cloud, securitye workplace.Transita da SIBS motivada pela ideia de poder fazer a diferença na empresa e atraída pelo nível de responsabilidade, autonomia e participação na tomada de decisão que iria assumir. Um momento que valida uma mudança de vida decidida há vários anos. Olhando para trás, Catarina Graça, a nova diretora de recursos humanos da Claranet Portugal, não se arrepende, nem por um segundo, de trocar a carreira que tinha iniciado nas tecnologias da informação como software developerpela gestão de pessoas, que a conquistou sobretudo pelas relações humanas. “Num processo de recrutamento para o grupo Altran (na altura para uma

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos