36 mil profissionais mudaram de trabalho até março. Farfetch foi a que mais contratou

Farfetch foi quem mais contratou mas também está no Top 3 das organizações de onde mais profissionais saíram no 1.º trimestre, segundo dados recolhidos através do LinkedIn Sales Navigator.

Durante o primeiro trimestre do ano, 36 mil profissionais mudaram de emprego. A maioria das mudanças de empresa ocorreram na área das tecnologias de informação e serviços, seguindo-se software, marketing e publicidade. A Farfetch, a MC e a Microsoft foram as três companhias em Portugal que mais contratam novos colaboradores entre janeiro e março. O unicórnio português está também no Top 3 das empresas de onde mais colaboradores saíram neste período, revela o “Relatório LinkedIn Emprego Portugal – 1.º Trimestre 2022”, elaborado por Pedro Caramez, consultor, formador e especialista da rede profissional LinkedIn em língua portuguesa, com recurso a dados recolhidos através do LinkedIn Sales Navigator.

Entre as organizações em Portugal que recrutaram através do LinkedIn durante o primeiro trimestre do ano, a Farfetch ocupa o primeiro lugar do pódio, com 355 utilizadores desta rede social a terem mencionado a empresa como sendo o seu local de trabalho atual. O pódio fica completo com a MC (161 novos colaboradores) e a Microsoft (154 talentos contratados).

A AIESEC in Portugal, Capgemini Engineering, NOS SGPS, Talkdesk, Adidas, NTT Data e Capgemini fazem parte do Top 10 das empresas com maior número de novos colaboradores neste

Cerca de 13 mil profissionais ingressaram em empresas com mais de 10.000 colaboradores. E apenas 388 tornaram-se trabalhadores autónomos.

Estes profissionais saíram sobretudo, de empresas como a MC (555), Teleperformance (429), Farfetch (416), Deloitte (367), Sonae (339), NOS SGPS (311), Accenture (273), Caixa Geral de Depósitos (232), EDP (218) e EY (181).

Já no que toca aos setores de atividade das empresas recrutadoras, a área das tecnologias de informação e serviços foi a que recebeu maior número de novos colaboradores, cerca de 3.500 profissionais. Seguem-se os setores de software (1.500), marketing e publicidade (1.500), saúde, bem-estar e educação física (1.000) e hotelaria (1.000).

Os serviços financeiros, recursos humanos, consultoria de gerenciamento, indústria automotiva e indústria farmacêutica completam o Top 10 dos setores de atividade com maior movimentações no que toca a contratações.

Entre as funções mais recrutadas no primeiro trimestre estão operações, engenharia e educação, revela ainda o relatório do LinkedIn. Os anos de experiência contaram bastante nas mudanças: dez mil do total de profissionais que mudaram de emprego tinham mais de dez anos de experiência, 7.500 tinham entre seis a dez anos de experiência e outros 7.500 tinha entre três a cinco.

A nível académico, as instituições que aparecem como sendo o local de estudo mais recente dos profissionais em questão são, sobretudo, a Universidade do Minho, que surge no primeiro lugar no pódio, com 1.500 profissionais a mencionarem esta instituição no seu perfil de LinkedIn como sendo a última que frequentaram.

Na mesma posição do ranking estão, por sua vez, a Universidade do Porto, o Instituto Superior Técnico, a Universidade de Coimbra, a Universidade Católica Portuguesa e o ISCTE.

Consulte o relatório completo aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

36 mil profissionais mudaram de trabalho até março. Farfetch foi a que mais contratou

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião