Estrangeiros gastam mais do dobro dos portugueses a comprar casas em Lisboa

  • Joana Abrantes Gomes
  • 21 Abril 2022

Preço mediano da habitação foi de 4.283 euros/m2 para compradores com domicílio fiscal no estrangeiro e de 1.858 euros/m2 para compradores com domicílio fiscal em Portugal, revela o INE.

Os estrangeiros gastam bem mais do que os portugueses a comprar imóveis para habitação na Área Metropolitana de Lisboa. O preço mediano da habitação adquirida por compradores com domicílio fiscal no estrangeiro foi de 4.283 euros/m2 no último trimestre de 2021, mais do dobro do valor para a adquirida por compradores com domicílio fiscal no território nacional (1.858 euros/m2).

Trata-se de uma diferença de 2.425 euros/m2, segundo revelam as Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local do 4.º trimestre de 2021, publicadas esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A região do Algarve também registou um valor médio mais elevado na habitação adquirida por compradores com domicílio fiscal fora de Portugal (2.547 euros/m2) face à adquirida por compradores com residência fiscal em território nacional (1.969 euros/m2). Porém, a diferença entre as duas categorias de compradores é de 578 euros/m2, bem menor em comparação com a Área Metropolitana de Lisboa.

Além dos valores mais elevados em ambas as categorias de domicílio fiscal do comprador, estas duas sub-regiões também apresentaram os preços medianos da habitação mais elevados do país: 1.904 euros/m2 para a Área Metropolitana de Lisboa e 2.144 euros/m2 para o Algarve.

No quarto trimestre de 2021, o preço médio de alojamentos familiares em Portugal adquiridos pelas famílias foi de 1.388 euros/m2, enquanto pelos compradores pertencentes aos restantes setores institucionais foi de 1.097 euros/m2.

Algarve, Área Metropolitana de Lisboa e Região Autónoma da Madeira foram as únicas sub-regiões que apresentaram preços medianos de habitação superiores ao do país em ambas as categorias do setor institucional do comprador.

O preço mediano de alojamentos familiares adquiridos pelas famílias na Área Metropolitana do Porto (1.481 euros/m2) foi superior ao valor médio de referência nacional (1.388 euros/m2). No Alentejo Litoral, o preço mediano das transações com compradores não pertencentes ao setor institucional famílias foi superior ao respetivo valor nacional (1.225 euros/m2 e 1.097 euros/m2, respetivamente).

Já o Oeste, a região de Aveiro e as duas áreas metropolitanas apresentaram uma diferença superior a 400 euros/m2 entre o preço mediano de alojamentos familiares adquiridos por famílias e o preço da habitação dos compradores pertencentes aos restantes setores institucionais.

Esta é uma nova série de dados do INE, com início em 2019, lançada ao abrigo de um novo protocolo de colaboração entre o instituto e a Autoridade Tributária, “que passou a incluir o envio de novas variáveis ao INE associadas ao Imposto Municipal por Transações Onerosas (IMT), nomeadamente a identificação dos compradores segundo o seeu setor institucional e domicílio fiscal”, explica o INE num comunicado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estrangeiros gastam mais do dobro dos portugueses a comprar casas em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião