Preço do gás cai 2% apesar de corte do fluxo na Ucrânia

Ucrânia suspendeu passagem de gás natural da Rússia para a Europa através de Sokhranivka. Futuros do gás natural começaram o dia em alta, mas já inverteram a tendência.

A Ucrânia decidiu suspender o fluxo de gás natural via Sokhranivka a partir desta quarta-feira, um dos dois principais pontos de passagem do gás natural da Rússia para a Europa através da Ucrânia.

A entidade ucraniana que gere o gasoduto indicou através de um comunicado que os carregamentos russos através da central de Novopskov, uma área controlada por separatistas apoiados por Moscovo, vão ser cortados. Os preços de referência do gás na Europa arrancaram o dia a subir, mas entretanto estão a cair quase 2%, para 97,4 euros por megawatt-hora (MWh).

Segundo Kiev, a central recebe cerca de um terço do gás russo que passa pela Ucrânia em direção à Europa Ocidental, apesar de Moscovo afirmar que a quantidade de gás que passa no gasoduto é superior à que foi referida por Kiev.

Trata-se da primeira medida que pode afetar o fornecimento de gás natural russo, desde que começou a invasão da Rússia, no passado dia 24 de fevereiro e pode vir a forçar Moscovo a transferir os fluxos de gás destinados aos clientes europeus.

Antes de ter tomado esta decisão, Kiev já tinha avisado a Rússia de que as ações das tropas russas na região de Luhansk, no leste da Ucrânia levariam a esta interrupção. “A Ucrânia não é responsável pela passagem de gás através dos territórios ocupados pela Rússia e a Gazprom foi devidamente informada sobre isso”, disse a empresa estatal de energia ucraniana Naftogaz, num comunicado publicado no seu site.

Por sua vez, um porta-voz da Gazprom confirmou que a empresa tinha sido notificada pela Ucrânia sobre esta interrupção, mas que não tinha recebido até ao momento nenhuma confirmação.

Apesar da guerra, a Rússia tem enviado gás natural normalmente através da Ucrânia, embora se estime que o fluxo de embarques deva cair cerca de 18% esta quarta-feira devido à suspensão do fluxo em Sokhranivka. Os futuros de gás natural na Europa estava a subir quase 7% antes desta interrupção, mas seguem agora a desvalorizar 1,92% para 96,9 euros por MWh.

Evolução dos futuros do gás TTF na Europa:

Fonte: Barchart

No ano passado, a Rússia deu resposta a cerca de 40% da procura por gás natural por parte da União Europeia, sendo que cerca de um terço dessa quantidade foi enviado através da Ucrânia, segundo a Bloomberg.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preço do gás cai 2% apesar de corte do fluxo na Ucrânia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião