Gás natural em mínimos de três semanas com subida das temperaturas

Tempo mais quente e estabilidade no abastecimento tem pressionado os preços do gás natural na Europa. Futuros de referência caem há três dias, para mínimos de meados de abril.

Os preços do gás natural na Europa recuam há três sessões consecutivas, num contexto de redução da procura e estabilidade da oferta.

O deslize é explicado por fatores como a subida das temperaturas e a manutenção do abastecimento por parte da Rússia, mesmo depois de o Kremlin ter cortado o gás à Polónia e à Bulgária.

Segundo a Bloomberg, os futuros de referência do gás natural no continente negoceiam num mínimo de três semanas. Pelas 7h40 em Lisboa, caíam 4,3%, para 88,75 euros por MWh (megawatt-hora), um preço que não era visto desde 19 de abril.

Preços do gás natural TTF em Amesterdão (em euros/MWh):

Fonte: Barchart

“Os preços da energia vão continuar a focar-se, sobretudo, nas ações políticas este mês e na forma como estas poderão apertar ou aliviar a situação no médio a longo prazo”, disse Andy Sommer, responsável da Axpo Solutions, citado pela agência.

O ultimato de Moscovo para que o gás seja pago em rublos continua a ameaçar este mercado, dado que a Europa mostra apreensão no uso do mecanismo criado para esse efeito, por receios de que as sanções sejam violadas.

Como o ECO noticiou, a Alemanha está a preparar-se para um cenário de emergência em que a Rússia corte subitamente o gás ao país. As autoridades estão a desenhar um plano que pode permitir ao Estado assumir o controlo de empresas consideradas críticas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Gás natural em mínimos de três semanas com subida das temperaturas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião