Já não dá para comprar no Dott. Worten absorve antiga montra partilhada com os CTT

Marca de retalho especializado da Sonae ficou com os 60 trabalhadores do marketplace que partilhou com os CTT até ao início de 2022. Operação acrescenta cinco milhões de artigos à Worten online.

Acabaram-se as compras no shopping online Dott. A montra virtual de produtos, que era dividida (50% – 50%) entre o grupo Sonae e os CTT até início deste ano, foi absorvida pela Worten. Além dos 60 trabalhadores que estavam neste projeto, a marca de retalho especializado passou a vender, no seu site, todos os artigos anteriormente disponibilizados no Dott.

O fim da parceria foi tornado público na apresentação de resultados dos CTT relativa ao ano passado. Em janeiro, a empresa de correios vendeu à Worten a participação que tinha no marketplace Dott, tendo as duas entidades “reforçado a sua parceria estratégica na área da logística”. Na altura, não foi revelado o montante desta transação.

Cinco meses depois, quem entra no portal do Dott para comprar artigos é automaticamente reencaminhado para a página da internet da Worten. Em entrevista ao ECO, o responsável de operações da retalhista, Mário Pereira, explica esta mudança.

“Reconhecemos uma enorme competência à equipa de gestão. Mas era uma tarefa muito desafiante e difícil tornar o Dott no marketplace de referência de Portugal. Juntámos as duas marcas para sermos mais fortes e incorporar as competências”, explicou Mário Pereira.

Reconhecemos uma enorme competência à equipa de gestão. Mas era uma tarefa muito desafiante e difícil tornar o Dott no marketplace de referência de Portugal. Juntámos as duas marcas para sermos mais fortes e incorporar as competências

Mário Pereira

Responsável de operações da Worten

A integração do Dott incluiu a entrada de “60 jovens digitais” nos quadros da Worten e a passagem do até agora líder da montra digital, Gaspar d’Orey, para o cargo de responsável por toda a área de online da marca do grupo Sonae.

A página da Worten também passou a contar com “mais cinco milhões de artigos”, como mercearia, bebidas com e sem álcool e ainda para limpeza de casa. Tal como no Dott, os produtos são comercializados junto de vendedores próprios — e não diretamente pela Worten.

A compra dos 50% do Dott aos CTT representou a terceira aquisição nacional da Worten em pouco mais de um ano. Em 2021, a marca do grupo Sonae comprou a plataforma de contratação de serviços Zaask e ainda a empresa de reparações de eletrodomésticos e equipamentos informáticos Satfiel.

No início de 2021, a Worten vendeu 17 lojas físicas em Espanha à MediaMarkt e fechou outras 14 no mesmo país.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Já não dá para comprar no Dott. Worten absorve antiga montra partilhada com os CTT

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião