Nas notícias lá fora: Juros do BCE, Samsung e Air France-KLM

  • ECO
  • 24 Maio 2022

BCE admite que taxa de depósitos poderá subir para zero ou ligeiramente acima até ao final de setembro. Samsung vai investir 356 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos em setores estratégicos.

Lagarde admite que a taxa de depósitos poderá subir para zero ou “ligeiramente acima” até ao final de setembro. A Samsung vai investir cerca de 356 mil milhões de dólares nos próximos cinco anos para acelerar o crescimento nas áreas de semicondutores, biofarma e outras tecnologias da próxima geração. A Air France-KLM planeia vender cerca de 2,26 mil milhões de euros de novas ações para reduzir a dívida. Conheça as notícias em destaque na atualidade internacional esta terça-feira.

Bloomberg

Lagarde vê juros em zero ou ligeiramente acima até setembro

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, admite que a taxa de depósitos poderá subir para zero ou “ligeiramente acima” até ao final de setembro, o que significa aumentos de pelo menos 50 pontos base face ao nível atual. “Estamos a movimentar muito provavelmente para território positivo até ao final do terceiro trimestre”, disse Lagarde, em entrevista à Bloomberg TV. “Quando se está fora das taxas negativas podemos estar num nível zero ou ligeiramente acima de zero. Isto é algo que vamos decidir com base nas nossas projeções e orientações futuras”, acrescentou a líder do banco central.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso pago/conteúdo em inglês).

Reuters

Samsung vai investir 356 mil milhões de euros em setores estratégicos

A Samsung vai investir 450 biliões de won (356 mil milhões de dólares) nos próximos cinco anos para acelerar o crescimento em semicondutores, biofarma e outras tecnologias da próxima geração, anunciou o grupo sul-coreano. 80% do investimento será feito na Coreia do Sul. A Samsung não incluiu as baterias para carros elétricos como uma das alavancas do seu negócio no futuro. A Samsung SDI, a unidade de baterias, e a Stellantis, vão anunciar uma nova fábrica de baterias no estado americano do Indiana esta terça-feira.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre/conteúdo em inglês).

El Economista

Espanha lança candidatura para a construção de uma “gigafábrica” de módulos solares

Na passada sexta-feira, dia 20 de maio, o European Solar Manufacturing Council (ESMC) lançou um projeto para mobilizar o investimento da União Europeia (UE) na área da indústria fotovoltaica. Espanha já mostrou vontade de liderar e coordenar o processo, que envolveria a instalação de uma “gigafábrica” de módulos solares no país com um investimento de cerca de 1.000 milhões de euros, sendo que quatro outros Estados-membros (Áustria, Lituânia, Luxemburgo e Polónia) também já expressaram o seu total apoio a este projeto de interesse comunitário.

Leia a notícia completa noEl Economista (acesso livre/conteúdo em espanhol).

Bloomberg

Air France-KLM vai vender 2,4 mil milhões de dólares de novas ações para reduzir a dívida

A companhia aérea Air France-KLM planeia vender cerca de 2,26 mil milhões de euros (2,4 mil milhões de dólares) de novas ações para apoiar o seu balanço financeiro e reembolsar uma parte do apoio estatal que ajudou a transportadora a sobreviver à crise provocada pela pandemia de Covid-19. As receitas serão utilizadas para reembolsar cerca de 1,7 mil milhões de euros de obrigações subordinadas emitidas em abril do ano passado e detidas pelo Governo francês, e para reduzir ainda mais a dívida, disse esta terça-feira a companhia aérea franco-holandesa. O período de subscrição está fixado entre 27 de maio e 9 de junho.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso pago/conteúdo em inglês).

Financial Times

Airbnb planeia encerrar atividade na China devido aos confinamentos e concorrência

A plataforma de alojamento local Airbnb planeia encerrar a sua atividade na China, devido ao impacto dos confinamentos provocados pela pandemia e à força das empresas chinesas concorrentes. O canal CNBC, que cita duas fontes ligadas ao processo, refere que a empresa irá comunicar esta terça-feira a decisão aos funcionários na China e terminar com as ofertas de hospedagem na potência asiática no próximo verão. O Airbnb começou a operar na China em 2016, mas o negócio tem representado cerca de 1% da receita da empresa nos últimos anos, planeando agora encerrar as suas operações na China para se concentrar em oferecer acomodações para viajantes chineses que deixam o país.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago/conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Juros do BCE, Samsung e Air France-KLM

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião