Paddy descansa Moedas. Web Summit no Rio de Janeiro será “regional”

  • Lusa
  • 25 Maio 2022

Paddy Cosgrave garante que cimeira tecnológica no Rio de Janeiro em 2023 será um evento "regional". Carlos Moedas fala numa "relação de longo prazo” e diz que "não há nenhum elefante" na sala.

O presidente executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, afirmou que a cimeira tecnológica no Rio de Janeiro, que acontece em 2023, será um evento “regional” e é uma “oportunidade” para crescer a marca fora da Europa.

O cofundador da Web Summit falava no evento “Above and Beyond Hangout – Business Abroad: Countdown to Collision”, organizado em parceria com a Startup Portugal, que decorreu em Lisboa.

Paddy Cosgrave salientou que tem sido inspirado em eventos como o Mobile Congress ou o Fórum Económico Mundial e os modelos que seguiram, em que têm um evento global por ano e depois há os regionais.

“Há alguns anos anunciámos que íamos fazer um evento em Tóquio, em 2020 anunciámos que íamos começar algo no Brasil”, referiu Paddy Cosgrave, salientando que a Web Summit Rio, recentemente anunciada e que ocorrerá entre 1 e 4 de maio de 2023, “será um evento regional” da perspetiva da organização.

“E é uma oportunidade para nós de continuar a crescer a marca Web Summit“, salientou, acrescentando que esta “é muito conhecida na Europa” e só em alguns grupos no resto do mundo. “A razão por que fazemos estes eventos regionais, em África ou no este asiático também, é aumentar a participação destas partes do mundo, que são muito importantes e acho que deveriam vir a Lisboa em grande número”, acrescentou.

A razão por que fazemos estes eventos regionais é aumentar a participação destas partes do mundo, que são muito importantes e acho que deveriam vir a Lisboa em grande número.

Paddy Cosgrave

CEO da Web Summit

O evento Collision, da Web Summit, que decorre no Canadá, entre 20 e 23 de junho, irá mostrar as startups e empresas portuguesas a uma rede internacional da América do Norte. Este evento irá reunir em Toronto o maior número de pessoas em mais de dois anos, desde o início da pandemia, sendo esperados 33.000 participantes.

Collision terá mais de 250 parceiros globais este ano, mais de 900 oradores, 1.250 startups, 1.200 jornalistas, 850 investidores e 100 unicórnios de mais de 140 países para um encontro que será físico. A delegação portuguesa, de acordo com a Web Summit, terá a oportunidade de fazer contactos com as mais de 120 delegações comerciais que irão participar no evento e explorar oportunidades de negócio.

Moedas fala em “relação de longo prazo”

Presente no mesmo evento, o presidente da câmara de Lisboa afirmou que a parceria com a Web Summit “é uma relação de longo prazo” e garantiu que “não há nenhum elefante” na sala por se realizar um evento no Rio de Janeiro.

Confesso “Grande fã da Web Summit” desde que veio para Portugal, Carlos Moedas referiu que “somos muito sortudos por ter a Web Summit em Lisboa” e que “o impacto ao longo dos anos” que o evento alcançou “é muito único e surpreendente para a cidade”.

“A parceria com a Web Summit é uma relação de longo prazo porque é isto que eu quero para a cidade, é que Lisboa seja a capital da inovação da Europa. E para ser a capital da inovação da Europa” é preciso a Web Summit, sublinhou o presidente da Câmara

Quanto ao que pretende daquela que é considerada a maior cimeira tecnológica do mundo, o autarca foi muito claro. “O que eu quero da Web Summit é realmente aumentar a nossa parceria para o nível seguinte e é isso que tenho vindo a falar com o Paddy e o Artur [Pereira, diretor-geral da Web Summit em Portugal], como é que podemos fazer mais”, prosseguiu.

E uma das coisas “que estamos a trabalhar em conjunto, e é parte de um dos grandes projetos que temos para Lisboa” é se se quer que Lisboa seja a capital da inovação, “eu preciso de me focar em scale-ups, em conseguir empresas de outro nível”, apontou. Por isso, “tenho um conceito que discuti com o Paddy muitas vezes, enquanto comissário europeu, de ter uma fábrica de unicórnios em Lisboa”, referiu.

A Web Summit está no Rio, estará provavelmente em outras partes do mundo, é bom para eles. É um bom negócio e estou muito feliz por eles.

Carlos Moedas

Presidente da Câmara de Lisboa

 

Carlos Moedas salientou que quando se refere a “fábrica de unicórnios”, tal “é uma metáfora”, ou seja, “um lugar” onde se pode aceder ao processo que leva às inovações para depois serem empresas e grandes empresas. “Para isso há algo que eu quero que a Web Summit seja connosco, porque a Web Summit foi o pai e a mãe, de alguma forma, do ecossistema internacional”, continuou.

Salientou ainda que antes da Web Summit se realizar em Lisboa, Portugal tinha “algumas startups, mas não estavam no mapa. “Acho que Web Summit veio e colocou Portugal no mapa das startups”, salientou.

De resto, a Web Summit “está no Rio, estará provavelmente em outras partes do mundo, é bom para eles, é um bom negócio e estou muito feliz por eles”, referiu Carlos Moedas. “Aquilo que vou sempre lutar enquanto presidente da câmara é termos aqui uma plataforma global”, garantiu, salientando que é natural que se criem estas dinâmicas em todo o mundo, referindo desejar que “Lisboa seja a base”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Paddy descansa Moedas. Web Summit no Rio de Janeiro será “regional”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião