CEO das cotadas portuguesas ganham 32 vezes mais do que trabalhadores

  • ECO
  • 26 Maio 2022

Em 2021, os CEO das principais empresas portuguesas cotadas em bolsa receberam, em média, 32 vezes mais do que os seus trabalhadores. Presidente executivo da Jerónimo Martins lidera a lista.

No ano passado, os presidentes executivos das principais empresas portuguesas cotadas na bolsa nacional receberam, em média, 32 vezes mais do que os trabalhadores dessas empresas, de acordo com um ranking da Proteste Investe, a revista da Deco, sobre a disparidade salarial, noticia a rádio Renascença.

O CEO da Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos, lidera essa lista, tendo recebido mais de três milhões de euros em 2021, o que representa um aumento de 19,3% face a 2020 e um valor quase 263 vezes superior face à média de salários dos funcionários da dona do Pingo Doce. Segue-se Cláudia Azevedo, líder da Sonae, que recebeu 1,6 milhões de euros em 2021, isto é, um valor 77 superior face à média de salários dos seus trabalhadores.

Em terceiro lugar consta Gonçalo Moura Martins, CEO da Mota-Engil, cujo remuneração anual é 73,3 vezes superior face à média dos salários praticados pela construtora. Além de 14 das 15 cotadas presentes no PSI, este ranking analisa também a Cofina, Impresa e Novabase que estão no PSI Geral.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CEO das cotadas portuguesas ganham 32 vezes mais do que trabalhadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião