Startup Portugal tinha 70 vagas para missões no estrangeiro. Usou menos de 60

Ciclo de quatro missões internacionais de negócios Business Abroad termina esta semana no Canadá. Houve startups que participaram em mais do que uma feira.

No último mês, algumas das maiores feiras mundiais de indústria e tecnologia contaram com a participação de startups portuguesas. Com as missões Business Abroad, a associação Startup Portugal pretendia acelerar o crescimento internacional das jovens empresas. Contudo, das 70 vagas disponibilizadas, apenas 56 foram ocupadas.

Ao participarem nas missões internacionais, as startups acederam, por exemplo, a eventos paralelos, consultoria das equipas da AICEP nos países de destino e a sessões de apresentação aos investidores (pitch). As empresas escolhidas também tiveram direito a despesas pagas de deslocação.

Contudo, para algumas das startups selecionadas, não valia a pena estar a participar em feiras internacionais. Além disso, também houve “imprevistos de última hora e motivos de saúde” que justificaram a ausência de alguns participantes, esclareceu fonte oficial da Startup Portugal já depois da publicação deste artigo.

Neste ano, foram escolhidas as feiras Hannover Messe (Hannover, Alemanha), South Summit (Madrid, Espanha), Viva Technology (Paris, França) e Collision (Toronto, Canadá).

No caso da Collision, cimeira tecnológica organizada pela equipa da Web Summit, a deslocação ao Canadá, para apresentação ao mercado da América do Norte, não estava nos objetivos de crescimento das startups, segundo apurou o ECO.

Isso explica porque apenas participaram 30 das 40 startups inicialmente contempladas na missão a Toronto. A viagem ao Collision era um dos benefícios do programa Road 2 Web Summit, iniciativa para promover as startups nacionais na Web Summit.

Em outras duas missões também houve menos startups portuguesas a participarem do que inicialmente previsto: em Hannover, foram ocupadas nove das dez vagas disponíveis; em Paris, dos dez lugares em aberto, três ficaram vazios. Apenas a participação em Madrid seguiu à risca as previsões, com dez startups a bordo.

Participação na South Summit, em Madrid, na missão da Startup PortugalDR

Houve mesmo três startups que acabaram por participar em mais do que uma feira: Infinite Foundry, Tonic App e Enline. O próprio regulamento assim o permitia.

Ainda assim, fonte oficial da Startup Portugal defende ao ECO que “houve várias startups que não integraram oficialmente a comitiva, mas que beneficiaram do apoio durante as participações nas feiras”.

A Startup Portugal, entretanto, já está a preparar as deslocações para o próximo ano. Considerado um “mercado prioritário”, o Brasil será uma das missões para 2023, no ano em que a Web Summit vai ter um evento próprio na cidade de Rio de Janeiro: a Web Summit Rio.

Estas foram as startups que participaram em cada uma das missões internacionais:

Hannover Messe:

  • Enline
  • Fractal Mind
  • INDX
  • Infraspeak
  • MICE
  • Omniflow
  • Progrow
  • Vawlt
  • Water Wise System

South Summit

  • Agri Marketplace
  • CBR Genomics
  • EMOTAI
  • Infinite Foundry
  • LOQR
  • Reatia
  • Spotlite
  • Equal Food
  • Tonic App
  • Virtuleap

VivaTech

  • Ablute
  • DocDigitizer
  • Enline
  • Ihcare
  • Infinite Foundry
  • OneCare
  • Réclame ICI
  • Tonic App

Collision

  • AI Alfred
  • API Suite
  • BLUdocc
  • Builtrix
  • Dhabibic
  • Diffuse.TV
  • Doley
  • EVA
  • Field
  • Getboarded
  • Hollow
  • Infinite Foundry
  • Inlife
  • MedLive
  • Mellody
  • MUUV
  • ngKloud
  • OLKIN
  • openworld domains
  • Planless
  • Reckon.ai
  • Safecheck-in
  • SensoMatt
  • Splink
  • Swonkie
  • Tokenwised
  • Vawlt
  • Wikinight
  • WSCarTracker
  • YouShip

(Notícia atualizada pelas 12h15 de 23/06/2022 depois do esclarecimento enviado pela Startup Portugal e da correção sobre as despesas incluídas na missão)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Startup Portugal tinha 70 vagas para missões no estrangeiro. Usou menos de 60

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião