Startups andam em Hannover à pesca de capital dos tubarões industriais

Entre os "grandes" da indústria, nove jovens empresas tecnológicas portuguesas apresentam-se também na Hannover Messe. Na mira estão novos negócios e financiamento, diz líder da Startup Portugal.

As startups portuguesas também andam à pesca de investidores na Hannover Messe. Nove jovens empresas tecnológicas de origem nacional vão apresentar-se no “lago dos tubarões” da maior feira mundial do setor. Para a equipa portuguesa foram selecionados projetos já com experiência, numa missão liderada pela associação Startup Portugal.

“O foco foi dado a startups com atividade, com a sua organização base criada e que já mereceram apostas de fundos de capital de risco. Podem chegar a esta feira e estarem num estágio de fazerem novos negócios, acelerarem e crescerem para a internacionalização“, explica ao ECO o líder da Startup Portugal, António Dias Martins.

Um conjunto de cinco startups vai apresentar o seu negócio na tarde desta terça-feira; as restantes quatro jovens empresas vão dar-se a conhecer na manhã de quarta-feira, 1 de junho, no recinto da feira em que a indústria portuguesa está a tentar seduzir as empresas alemãs com cockpits de Valongo e implantes capilares de CR7.

Por estarem numa fase mais adiantada, estas startups portuguesas não passaram por qualquer processo de preparação ou de mentoria antes de viajarem para a Hannover Messe 2022, em que Portugal tem o estatuto de país parceiro e junta uma comitiva com 109 empresas. “Fazemos um acompanhamento individual”, destaca António Dias Martins.

O sucesso desta visita à Alemanha apenas será medido “dentro de alguns meses, como reconhece o mesmo responsável, quando as startups confirmarem a eventual captação de novos novos negócios, aumentos de capital ou o crescimento da sua rede de parceiros.

Conheça as startups que estão a participar na feira industrial de Hannover

  • Enline – Startup de Mirandela fundada em 2018, especializada no desenvolvimento de software para a gestão e operação de redes de transporte de energia elétrica, incorporando soluções de engenharia, data science, inteligência artificial e IoT (Internet das Coisas). A sua solução de Digital Twin permite facilmente recriar em ambiente virtual os vários ativos da rede de transmissão elétrica, possibilitando uma monitorização em tempo real e otimizando toda a sua operação;
  • Fractal Mind – Empresa de Lisboa com oferta de soluções gamificadas desenhadas em função dos desafios de cada cliente, impulsionando o envolvimento dos trabalhadores, resultados de negócio, objetivos de aprendizagem e de mudança comportamental;
  • INDX – Empresa de Braga que construiu uma plataforma para gerir o chão de fábrica e ajustar a produção às necessidades de encomendas. A plataforma inclui uma aplicação para telemóvel a ser usada pelos trabalhadores;
  • Infraspeak – Solução nascida no Porto para gerir manutenção de infraestruturas com base em inteligência artificial;
  • MICESpin-off da Universidade do Porto, especializada no desenvolvimento e produção de peças plásticas e compósitos, com foco nas pequenas e médias séries de produção. Resultado de mais de 20 anos de investigação na tecnologia de moldação por injeção reativa, permite a produção de materiais adaptados às necessidades de cada especificidade do projeto e cliente, garantindo curto período de tempo até chegar ao mercado e custos mais baixos;
  • Omniflow – Fundada em 2011 no Porto, desenvolveu um sistema híbrido de geração de energia solar e eólica, destinada a fins residenciais, comerciais, telecomunicações, sistemas de wi-fi e iluminação urbana. A solução poupa mais de 90% da energia para iluminação;
  • Progrow – Com sede em Matosinhos, é uma plataforma dedicada à experiência do chão de fábrica, com conectividade e análise de dados de última geração. A solução recorre a tecnologia de IoT e permite aos clientes tomarem decisões mais rápidas com base em dados;
  • Vawlt – Fundada em 2019 em Lisboa, criou uma plataforma para simplificar o armazenamento de dados, ao adaptar a sua configuração às necessidades de cada cliente independentemente do seu setor, desde o armazenamento de ficheiros colaborativos até ao arquivo morto, passando pelos backups ou outros tipos de usos;
  • Water Wise System – solução para a gestão e processamento massivo de dados do ciclo urbano da água, podendo ser usada em redes de água potável, residuais e pluviais. Faz a ponte entre as diversas realidades que rodeiam todas as redes no contexto do ciclo urbano da água, sendo capaz de analisar parâmetros da gestão hídrica, dos consumos energéticos, da meteorologia, do comportamento de consumo e determinar a sua sustentabilidade.

Chegar ao Brasil em 2023

A Hannover Messe é a primeira das quatro missões internacionais de 2022 da Startup Portugal, designadas de Business Abroad. Até ao final de junho, um total de cerca de 70 startups irá participar em outros três certames: South Summit (Espanha), Viva Technology (França) e Collision, a conferência da rede Web Summit que decorre na cidade canadiana de Toronto.

Com o calendário deste ano já fechado, a Startup Portugal já está a preparar as deslocações para o próximo ano. Considerado um “mercado prioritário”, o Brasil será uma das missões para 2023, no ano em que a Web Summit vai ter um evento próprio na cidade de Rio de Janeiro: a Web Summit Rio.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Startups andam em Hannover à pesca de capital dos tubarões industriais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião