Nas notícias lá fora: OPA, Evergrande e Zimbabué

  • ECO
  • 28 Junho 2022

A CMVM espanhola poderá forçar a Sepi a lançar uma OPA sobre a Indra. Um credor estrangeiro apresentou uma petição para liquidar a Evergrande. Banco central do Zimbabué sobe taxa de juro para 200%.

A CMVM espanhola poderá forçar a Sepi a lançar uma OPA sobre a Indra. Um credor estrangeiro apresentou uma petição para liquidar a Evergrande. No Zimbabué, o banco central vai subir a taxa de juro diretora de 80% para 200%, tornando-a na mais elevada a nível mundial, enquanto nos Estados Unidos, a empresa que pretendia investir na nova plataforma de Donald Trump nas redes sociais está sob investigação.

Expansión

CMVM espanhola pode forçar a uma OPA de 1.200 milhões da Sepi sobre a Indra

A Comissão Nacional de Mercado de Valores (o equivalente à CMVM em Portugal) poderá forçar a Sepi a lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) de 1.200 milhões de euros sobre a Indra. Se o regulador espanhol considerar que há uma “ação concertada” na empresa de defesa, a empresa estatal deve fazer uma oferta de 11 euros por ação, ou vender parte de seus títulos.

Leia a notícia no Expansión (acesso pago, conteúdo em espanhol)

Financial Times

Credor estrangeiro avança em Hong Kong com petição de liquidação contra Evergrande

Um credor estrangeiro apresentou uma petição de liquidação contra o endividado gigante imobiliário chinês Evergrande junto do poder judicial de Hong Kong. O autor é a Top Shine Global Limited, uma empresa registada em Samoa e propriedade do investidor local Lin Ho Man, revela o comunicado enviado à Bolsa de Hong Kong, onde está cotada, a Evergrande. A empresa disse que a petição de liquidação diz respeito a uma “obrigação financeira” no valor de 862,5 milhões de Hong Kong dólares (103,9 milhões de euros), sem fornecer mais pormenores. A Evergrande garantiu que vai “opor-se vigorosamente” ao processo, e espera que este não tenha qualquer impacto nos planos de reestruturação ou no calendário que tem para os apresentar, mantendo o prazo até ao final de julho.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês).

Bloomberg

Banco central do Zimbabué sobe taxa de juro para 200%

O banco central do Zimbabué vai subir a taxa de juro diretora de 80% para 200%, tornando-a na mais elevada a nível mundial, para tentar controlar a galopante inflação, que chegou a 191% este mês. “A crescente inflação tem deprimido a procura e a confiança dos consumidores e, se não for controlada, acabará com os ganhos económicos significativos obtidos nos últimos dois anos”, argumentou o governador do banco central, John Mangudya. Na intervenção, o governador mostrou ainda “grande preocupação” pela duplicação da inflação nos últimos dois meses, para 191%, em parte devido aos impactos da invasão russa da Ucrânia, que levou vários bancos centrais a nível global a aumentarem as taxas de juros, mas sem comparação face à dimensão da subida no Zimbabué.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

The New York Times

Investigação judicial compromete compra de empresa de Trump para as redes sociais

A empresa que pretendia investir na nova plataforma de Donald Trump nas redes sociais revelou que está a ser objeto de uma investigação por um grande júri federal, o que a pode inibir de adquirir a Truth Social. Depois de ter divulgado que tinha sido intimada por um grande júri de Nova Iorque, a Digital World Acquisition Corp. viu as suas ações desvalorizarem hoje cerca de 10%. A intimação do Departamento de Justiça segue-se a uma investigação em curso pela entidade reguladora do mercado bolsista (SEC, na sigla em Inglês) sobre se a Digital World violou as regras, ao ter negociações substanciais sobre a compra da empresa de Trump desde o início de 2021, antes de a Digital World vender ações ao público pela primeira vez em setembro, poucas semanas antes de anunciar que ia comprar a empresa de Trump.

Leia a notícia completa no The New York Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Reuters

Encontrados 46 migrantes mortos dentro de um atrelado de um camião no Texas

Quarenta e seis pessoas foram encontradas mortas dentro de um atrelado de um camião no sudoeste de San Antonio, no estado norte-americano do Texas. A polícia encontrou o camião numa estrada remota, perto da base aérea de Lackland. Outras 16 pessoas, 12 adultos e quatro crianças, encontradas no mesmo local, receberam assistência médica devido ao calor e à desidratação, revelou o chefe da corporação dos bombeiros, Charles Hood. As pessoas que seguiam no atrelado fariam parte de uma alegada tentativa de contrabando de migrantes para os Estados Unidos, Precisou o chefe de polícia, William McManu, acrescentando que pelo menos três pessoas estão sob custódia policial, embora não seja claro se estão ligadas a este caso.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: OPA, Evergrande e Zimbabué

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião