Brent recupera e avança quase 2% para perto dos 114 dólares

Preço da matéria-prima está a recuperar depois de ter caído quase 1% no arranque da sessão. investidores temem que o abrandamento económico possa ter impacto na procura.

Os preços do petróleo inventaram a tendência do arranque desta segunda-feira e estão a valorizar quase 2%, numa altura em que persistem as preocupações relativas a uma recessão global e que se verificam perturbações no fornecimento, com protestos a interromper as exportações na Líbia.

Pelas 20h16 de Lisboa, o brent, que serve de referência às importações nacionais avança 1,97% para 113,83 dólares, enquanto o WTI, negociado em Nova Iorque, valoriza 2,06% para 110,66 dólares. Trata-se, portanto, de uma recuperação, dado que no arranque da sessão desta segunda-feira, a cotação do barril de brent estava a cair quase 1%.

Este desempenho acontece numa altura em que os investidores temem que o abrandamento económico possa ter impacto na procura pelo “ouro negro”. Os preços de petróleo estão desde o início de junho a ser pressionados pelos receios de uma recessão, ainda assim, no acumulado deste ano, o “ouro negro” já valorizou cerca de 40%.

A OPEP falhou o objetivo de aumentar a produção em junho, segundo a Reuters. Além disso, nos últimos dias, a Líbia, que faz parte do grupo, enfrenta uma onda de protestos devido ao elevado custo de vida e a situação política no país, o que ameaça o fornecimento da produção de petróleo. Ao mesmo tempo, uma greve na Noruega pode reduzir a oferta esta semana.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Brent recupera e avança quase 2% para perto dos 114 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião