Petróleo cai quase 1%. Brent perto dos 111 dólares

  • Joana Abrantes Gomes
  • 4 Julho 2022

Preços do petróleo continuam pressionados pelo receio de uma recessão económica. Brent volta a cair esta segunda-feira, depois da desvalorização no final da passada semana.

Os preços do petróleo arrancaram a semana em queda, numa altura em que os receios de uma recessão global que afete a procura ofuscam as preocupações com uma produção mais baixa por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), a instabilidade política na Líbia e as sanções do Ocidente contra Moscovo.

Enquanto o Brent cede 0,77%, para 110,79 dólares por barril, o crude WTI segue em baixa de 0,85%, para 107,51 dólares.

Cotação do Brent

“O risco está inclinado para o lado negativo, uma vez que os traders estão preocupados com o abrandar da procura de petróleo devido à forte possibilidade de uma recessão económica nos EUA e em outras partes do mundo”, afirmou Naeem Aslam, da corretora Avatrade.

A OPEP falhou o objetivo de aumentar a produção em junho, segundo a Reuters. Além disso, nos últimos dias, o Equador, que faz parte do grupo, disse que os seus níveis de produção estavam “em estado crítico”, depois de o país enfrentar uma onda de protestos devido ao elevado custo de vida, ameaçando interromper a produção de petróleo. Além disso, uma greve na Noruega pode reduzir a oferta esta semana.

Este cenário “está a colidir com uma possível escassez de capacidade de produção excedentária entre os produtores de petróleo do Médio Oriente”, disse Stephen Brennock da corretora de petróleo PVM. “E sem que a nova produção de petróleo atinja os mercados em breve, os preços serão forçados a subir“, acrescentou.

Este ano, o Brent já esteve perto de um máximo de 147 dólares por barril, alcançado em 2008, à medida que a invasão russa da Ucrânia aumentava as preocupações de abastecimento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo cai quase 1%. Brent perto dos 111 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião