Nas notícias lá fora: União Europeia, Reino Unido e gás natural

  • Joana Abrantes Gomes
  • 7 Julho 2022

O CEO da Naturgy avisa sobre uma nova subida dos preços do gás. O Governo britânico já soma mais de 50 demissões desde terça-feira.

O ministro das Finanças francês considera que as regras da dívida dos Estados-membros da União Europeia (UE) estão “obsoletas”. O CEO da Naturgy avisa sobre uma nova subida dos preços do gás. O Governo britânico já soma mais de 50 demissões desde terça-feira. Saiba quais as notícias em destaque na atualidade internacional esta quinta-feira.

Financial Times

Ministro das Finanças francês diz que regras da dívida da UE são “obsoletas”

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, defendeu que as regras para o endividamento dos Estados-membros da União Europeia (UE) estão “obsoletas”, defendendo que devem ser repensadas para refletir os custos da pandemia de Covid-19, da guerra na Ucrânia e do aumento da inflação. Com o aumento da despesa pública, está a surgir “um novo modelo económico” na Europa, e qualquer contraste entre os países membros “frugais” do norte da UE, liderados pela Alemanha, e os países pródigos do sul deixou de ser relevante, considerou ainda o governante. Ainda assim, Le Maire admitiu que é necessário que os países da UE estejam sujeitos a limites na dívida pública e no défice anual, conhecidos em conjunto por Pacto de Estabilidade e Crescimento.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado/conteúdo em inglês).

El Economista

CEO da Naturgy adverte para nova subida dos preços do gás

O CEO da Naturgy alerta para uma nova escalada nos preços do gás. Em entrevista ao El Economista, Francisco Reynés aponta “dois fatores” que influenciam a expectativa dos preços: um é o “ecrã que diz o que aconteceu ao preço durante o último ano e os futuros, que parece que se vão manter elevados”, enquanto a Argélia, um importante fornecedor de gás, se “aproveita dele”; o outro é a pressão sobre a descarbonização. “Não podemos esperar um acordo com a Argélia a um preço igual ou inferior ao que tínhamos e, portanto, serão significativamente mais elevados”, reiterou.

Leia a entrevista completa no El Economista (acesso livre/conteúdo em espanhol)

CNBC

Já se demitiram mais de 50 membros do Governo britânico

Mais de 50 membros do Parlamento do Reino Unido renunciaram aos seus cargos no Governo desde terça-feira. Após uma torrente de renúncias na quarta-feira, mais ministros renunciaram na manhã desta quinta-feira, incluindo o secretário de Estado da Irlanda do Norte, a ministra do Tesouro e o ministro da Segurança. Pelas 8h15, já se contavam 53 demissões. A 50.ª demissão foi a de George Freeman, ministro da Ciência, Pesquisa e Inovação. Entretanto, o próprio Boris Johnson já terá decidido apresentar a demissão.

Leia a notícia completa na CNBC (acesso livre/conteúdo em inglês).

El Confidencial

Seis construtoras espanholas multadas em 200 milhões por manipulação de obras públicas durante 25 anos

A Comissão Nacional de Mercados e Concorrência (CNMC) aplicou multas no valor total de 203,6 milhões de euros a seis das principais construtoras espanholas por terem alterado milhares de concursos públicos de construção e obras civis durante 25 anos. As empresas em causa são a Acciona (29,4 milhões), Dragados (57,1 milhões), FCC (40,4 milhões), Ferrovial (38,5 milhões), OHL (21,5 milhões) e Sacyr (16,7 milhões). Estas reuniam-se semanalmente desde 1992 e decidiam os contratos públicos em que iriam partilhar os trabalhos técnicos.

Leia a notícia completa no El Confidencial (acesso livre/conteúdo em espanhol)

BBC

Investigados 21 mil alegados crimes de guerra na Ucrânia

A procuradora-geral da Ucrânia, Iryna Venediktova, revelou que recebe diariamente cerca de 200 a 300 denúncias de crimes de guerra no país. Embora admita que muitos julgamentos sejam feitos à revelia, considera que é “uma questão de justiça” continuar com os processos. A responsável disse ainda que os soldados russos que mataram, torturaram ou violaram civis “devem entender que é apenas uma questão de tempo até todos estarem em tribunal”. Em maio, cerca de 600 suspeitos já tinham sido identificados e 80 processos já tinham sido abertos.

Leia a notícia completa na BBC (acesso livre/conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: União Europeia, Reino Unido e gás natural

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião