Turismo duplica em junho e supera pandemia no Norte e ilhas

Alojamentos turísticos nacionais recebem 2,7 milhões de hóspedes em junho e 7,2 milhões de dormidas, um aumento homólogo de 97,3% e 110,2%, respetivamente. Setor supera pré-pandemia no Norte e ilhas.

Os alojamentos turísticos nacionais receberam 2,7 milhões de hóspedes em junho, num total de 7,2 milhões de dormidas, o que representa um aumento homólogo de 97,3% e 110,2%, respetivamente, avança esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nas regiões do Norte, na Madeira e nos Açores, as dormidas de estrangeiros ultrapassaram mesmo os níveis pré-pandemia, embora em termos gerais, registou-se uma diminuição de 2,6% no número de hóspedes face a junho de 2019 e uma diminuição de 0,4% no número de dormidas referente ao mesmo período. Face a maio de 2022, o número de hóspedes cresceu 162,3%, e 221,7% no que diz respeito às dormidas.

Enquanto os hóspedes nacionais foram responsáveis por 2,3 milhões de dormidas, o que corresponde a um aumento de 16,5%, os hóspedes estrangeiros registaram 4,8 milhões, o que se traduz num crescimento de 241,8%. No entanto, face a junho de 2019, “o mercado interno cresceu 7,0% e os mercados externos diminuíram 3,5%”, destaca o INE.

Já no acumulado dos primeiros seis meses do ano, as dormidas aumentaram 252,4% em termos homólogos, sendo que o crescimento foi de 84,1% para os turistas residentes e 529,5% para os turistas estrangeiros. Em comparação com o primeiro semestre de 2019, as dormidas caíram 7%; um resultado da diminuição de 11,9% das dormidas dos hóspedes estrangeiros, e um crescimento de 5,2% nas dormidas dos hóspedes nacionais.

Ao considerar apenas os resultados do segundo trimestre de 2022, as dormidas evoluíram em linha com os resultados do primeiro semestre. Enquanto as dormidas gerais aumentaram 209,9% no segundo trimestre do ano, face ao mesmo período de 2019 já houve um recuo de 0,2%. Na origem desta evolução esteve novamente o aumento de 55,6% das dormidas dos hóspedes nacionais (um crescimento de 9,9% face ao segundo trimestre de 2019), e uma subida de 450,1% nos hóspedes estrangeiros (uma queda de 4,1% face aos valores pré-pandemia).

INE destaca ainda que, em junho, 15,7% dos alojamentos turísticos nacionais estiveram encerrados e não registaram movimento de hóspedes.

Relativamente a junho, o INE destaca um aumento das dormidas em todas as regiões, sendo que o Algarve concentrou 31,2% destas, seguindo-se a região de Lisboa com 24,5%, o Norte com 15,5%, e a Madeira com 11,7%. Face aos níveis pré-pandemia, os maiores aumentos registaram-se na região da Madeira com 16,8%, no Norte com 6,2%, nos Açores com 6,1%, e em Lisboa com um aumento marginal de 0,1%. O maior decréscimo foi observado no Algarve, com uma queda de 8,1%.

No que diz respeito às dormidas de turistas residentes, também houve um aumento em todas as regiões, com exceção do Algarve (-5,3%), sendo que o INE destaca o crescimento de 63,5% da região da Madeira, 13,1% do Norte, 12,6% dos Açores, e 10% da região Centro. Já as dormidas dos turistas estrangeiros aumentaram 8,4% na região da Madeira, 2,1% na região Norte, 1,9% nos Açores, e caíram 19,8% no Centro, e 9% no Algarve.

(Notícia atualizada pela última vez às 12h16)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Turismo duplica em junho e supera pandemia no Norte e ilhas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião