Lisboa contraria perdas da Europa. Energia e Jerónimo Martins impulsionam PSI

O dia foi negativo para as principais bolsas europeias, mas a praça lisboeta foi a exceção ao subir com a ajuda das cotadas da energia e da Jerónimo Martins.

A bolsa de Lisboa voltou a fechar no verde na sessão desta quarta-feira, contrariando assim a tendência negativa vivida nas principais praças europeias. O desempenho do índice de referência nacional foi impulsionado pelas cotadas do setor da energia, bem como pela recuperação da Jerónimo Martins.

Pela Europa, o dia foi negativo. O índice Stoxx 600, que junta as 600 maiores cotadas europeias, caiu 1%, a par com o francês CAC 40. Já o alemão DAX recuou 2,1%, o britânico FTSE 100 perdeu 0,3% e o espanhol IBEX cedeu 0,7%.

Já em Lisboa, o PSI desafiou a tendência e subiu 0,53%, para 6.268,77 pontos. Entre as 15 cotadas, nove encerraram a sessão em terreno positivo e seis acabaram por desvalorizar.

O setor da energia destaca-se nos ganhos do PSI. A Greenvolt subiu 2,50% para os 10,66 euros, enquanto a Galp Energia ganhou 1,63% para os 10,62 euros e a EDP somou 0,90% para 5,17 euros. Já a subsidiária EDP Renováveis valorizou 0,49% para 26,55 pontos.

A impulsionar o desempenho do índice ficou também a Jerónimo Martins. A retalhista subiu 1,96% para os 22,84 euros, recuperando assim das perdas registadas na última sessão, depois da notícia de que Biedronka, a cadeia de supermercados do grupo português na Polónia, foi multada pelo regulador polaco de proteção do consumidor devido a publicidade enganosa, arriscando-se agora a uma sanção equivalente até 10% da sua receita anual.

Jerónimo Martins recupera e soma quase 2%

Por outro lado, nas perdas, encontra-se a Navigator, que desvalorizou 0,73% para os 4,08 euros, a Nos, que perdeu 0,70% para os 3,71 euros, e o BCP, que cedeu 0,59% para os 0,1511 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa contraria perdas da Europa. Energia e Jerónimo Martins impulsionam PSI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião