Galp avança mais de 3% com boas notícias na Namíbia

Perfurações num promissor poço na Namíbia decorrem com sucesso, revela a Galp. Boas notícias levam ações da petrolífera a avançarem mais de 3% na bolsa.

As ações da Galp GALP 3,67% avançam mais de 3% na bolsa de Lisboa depois de a petrolífera nacional ter anunciado que as perfurações num promissor poço de petróleo na Namíbia foram bem-sucedidas.

“A Galp (80%, operadora), juntamente com os seus parceiros Namcor e Custos (10% cada), perfurou e registou com sucesso um alvo mais profundo (AVO-2) do poço Mopane-1X no bloco PEL83”, segundo informou a Galp ao mercado esta sexta-feira.

Foi justamente no AVO-2 que a Galp havia descoberto “uma coluna significativa de petróleo leve em areias portadoras de reservatórios de elevada qualidade”, conforme havia revelado no passado dia 10.

Agora a Galp espera que a plataforma seja relocalizada para o local do poço Mopane-2X no sentido de “avaliar a extensão das descobertas de Mopane”, devendo depois realizar um Teste de Formação em Mopane-1X.

“A Galp continuará a analisar os dados adquiridos durante as próximas semanas para avaliar a comercialidade das descobertas”, informa a petrolífera liderada por Filipe Silva.

Face a estes desenvolvimentos, a Galp avança 3,02%, para 14,505 euros, na sessão desta sexta-feira, acumulando uma valorização de 8% desde o início do ano. A petrolífera lidera os ganhos no PSI, que sobe 0,18% para 6.305,6 pontos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Galp avança mais de 3% com boas notícias na Namíbia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião